BCE acelera retirada de estímulos mesmo com aumento de incerteza por guerra na Ucrânia

O banco agora prevê que as compras do APP totalizarão 40 bilhões de euros em abril, 30 bilhões em maio e 20 bilhões em junho

O Banco Central Europeu vai encerrar suas compras de ativos no terceiro trimestre, disse a autoridade monetária nesta quinta-feira, avançando com a retirada do estímulo uma vez que o aquecimento da inflação supera preocupações sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Com a inflação na zona do euro em máxima recorde mesmo antes de Moscou atacar a Ucrânia, em 24 de fevereiro, as autoridades já vinham pressionando por um fim mais rápido de suas compras de títulos, abrindo caminho para uma alta dos juros neste ano.

Embora aqueles inclinados a estímulo monetário tenham argumentado que a guerra justifica uma reavaliação, a taxa de inflação recorde de 5,8% em fevereiro e a expectativa de leitura ainda mais alta em março intensificaram a pressão sobre o banco para agir em linha com seu mandato.

“A guerra entre Rússia e Ucrânia terá impacto material sobre a atividade econômica e a inflação através de preços mais altos de commodities e energia, disrupções no comércio internacional e confiança mais fraca”, alertou a presidente do BCE, Christine Lagarde, em coletiva de imprensa, chamando o conflito de “divisor de águas para a Europa”.

“Os riscos para o cenário econômico aumentaram substancialmente com a invasão russa da Ucrânia”, completou ela, reconhecendo que as autoridades do BCE apresentaram visões diferentes sobre o que isso significa.

Mas Lagarde disse que a diminuição do impacto da pandemia do coronavírus sobre a economia, a melhora das condições do mercado de trabalho e a perspectiva de redução dos gargalos da cadeia de oferta mostram que a zona do euro está fundamentalmente saudável.

Na decisão desta quinta-feira, o banco confirmou planos de encerrar seu Programa de Compras de Emergência da Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) de 1,85 trilhão de euros no final do mês e disse que as compras sob o Programa de Compra de Ativos (APP), de longa data, serão menores do que o planejado anteriormente.

O banco agora prevê que as compras do APP totalizarão 40 bilhões de euros em abril, 30 bilhões em maio e 20 bilhões em junho. Anteriormente, o BCE estimava as compras em 40 bilhões de euros no segundo trimestre, 30 bilhões no terceiro trimestre e 20 bilhões no quarto.

As compras no terceiro trimestre dependerão de dados, acrescentou o BCE, que ainda manteve sua taxa de depósito abaixo de zero.

O BCE disse ainda que qualquer ajuste nos juros acontecerá “algum tempo” depois de encerrar suas compras, uma mudança em relação à formulação anterior de que as compras terminariam “pouco antes” de alteração nos custos de empréstimos.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas