Universal Music vai desenvolver NFTs colecionáveis ​​em acordo com plataforma Curio

A parceria representa um marco para a Curio, que foi fundada em 2020 e lançou seu primeiro NFT em fevereiro passado
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

A Universal Music fechou uma parceria com a plataforma NFT Curio para desenvolver coleções de tokens não fungíveis (NFT) para suas gravadoras e artistas, disseram as empresas na quinta-feira.

A Universal Music disse que planeja trabalhar com a Curio para desenvolver obras de arte digitais e outros colecionáveis ​​para a empresa e seus artistas. A Curio também servirá como um ponto de venda online onde os fãs podem comprar NFTs oficialmente licenciados, a partir de março com uma colaboração do Capitol Music Group e do cantor e compositor britânico Calum Scott.

Michael Nash, vice-presidente executivo de estratégia digital da Universal Music, disse que as NFTs e a Web3, a próxima geração da internet baseada na tecnologia blockchain, apresentam uma oportunidade para gravadoras e artistas criarem produtos digitais exclusivos para os fãs em um momento em que o streaming tornou acesso à música onipresente.

“Com toda a inovação acontecendo em torno da Web3 e NFTs, você tem a oportunidade de disponibilizar todos os tipos de produtos digitais que fornecem essa propriedade… E você tem escassez tecnologicamente imposta, para atrair colecionadores”, disse Nash.

Na Curio, a Universal encontrou um executivo bem familiarizado com seus negócios como cofundador e codiretor executivo, Ben Arnon, que trabalhou anteriormente na Universal Music. Um dos conselheiros da Curio, Marc Geiger, é o ex-chefe de música da agência de talentos William Morris Endeavor.

A parceria representa um marco para a Curio, que foi fundada em 2020 e lançou seu primeiro NFT em fevereiro passado. A empresa lançou posteriormente mais de 75.000 colecionáveis ​​digitais trabalhando com parceiros da indústria de música, filmes e televisão.

A plataforma apresenta NFTs inspirados na série de televisão “Deuses Americanos” de Neil Gaiman e no clássico cult de 2010 da Universal Pictures “Scott Pilgrim Contra o Mundo”.

Arnon disse à Reuters que construiu seu mercado NFT para que fosse acessível aos consumidores tradicionais, incluindo aqueles que nunca usaram criptomoedas.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas