Fomc busca alcançar inflação a 2% no longo prazo, diz ata

A ata ressaltou ainda os riscos das novas variantes do coronavírus para a economia

Segundo a ata da reunião de janeiro do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, divulgada, nesta quarta-feira (16), pelo Federal Reserve (Fed), o Comitê manteve a meta para a taxa dos fundos federais em 0 a 0,25% em apoio aos objetivos de emprego e inflação máximos na taxa de 2% no longo prazo. 

Os dirigentes da autoridade monetária esperam ainda que a inflação modere ao longo de 2022. 

Além disso, membros do Fomc concordaram em continuar reduzindo o ritmo mensal de compra de ativos, encerrando-as em março. 

“Se a onda da ômicron passar logo, o crescimento dos EUA em 2022 deve ser robusto”, afirma a ata. 

O Fed destacou que o desequilíbrio de oferta e demanda, relacionados com a pandemia de Covid-19 e a reabertura da economia, continua contribuindo para a alta da inflação. 

“As condições financeiras gerais permanecem acomodatícias, refletindo em parte medidas políticas de apoio à economia e ao fluxo de crédito para famílias e empresas americanas”, reitera o documento.

A ata ressaltou ainda os riscos das novas variantes do coronavírus para a economia. 

“A trajetória da economia continua a depender do curso do vírus. Espera-se que o progresso nas vacinações e a redução das restrições de oferta apoiem os ganhos contínuos na atividade econômica e no emprego, bem como a redução da inflação. Os riscos para as perspectivas econômicas permanecem, inclusive de novas variantes do vírus”, diz o documento. 

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas