Presidente da Ucrânia reafirma confiança em vitória; forças russas se reagrupam perto de Kiev

Em uma reunião com o presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, Putin disse que houve "certas mudanças positivas" nas negociações com Kiev, mas não deu mais detalhes

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse nesta sexta-feira que a Ucrânia atingiu um “ponto de virada estratégico” no conflito com a Rússia, mas as forças russas bombardearam cidades em todo o país vizinho e pareciam estar se reagrupando para um possível ataque à capital Kiev.

O governador da região de Kharkiv, na fronteira com a Rússia, afirmou que um hospital psiquiátrico foi atingido, e o prefeito da cidade de Kharkiv disse que cerca de 50 escolas foram destruídas.

Na cidade sitiada de Mariupol, no sul, a Câmara Municipal disse que pelo menos 1.582 civis foram mortos como resultado de bombardeios russos e de um bloqueio de 12 dias que deixou centenas de milhares sem comida, água, aquecimento ou energia.

O Ministério da Defesa da Rússia informou que a cidade portuária no Mar Negro está agora completamente cercada, e autoridades ucranianas acusaram a Rússia de impedir deliberadamente a saída de civis e a entrada de comboios humanitários.

Um novo esforço para retirar civis ao longo de um corredor humanitário de Mariupol parece ter fracassado. A vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, disse que os bombardeios russos impediram civis de sair.

“A situação é crítica”, disse o assessor do Ministério do Interior ucraniano Vadym Denysenko.

Enquanto isso, países ocidentais tomaram mais medidas para tentar forçar o presidente russo, Vladimir Putin, a encerrar seu ataque.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que os países industrializados do G7 revogarão o status comercial de “nação mais favorecida” da Rússia. Ele também anunciou uma proibição dos EUA às importações de frutos do mar, álcool e diamantes russos.

Líderes da União Europeia reunidos na França disseram que estão prontos para impor sanções econômicas mais duras à Rússia e podem dar à Ucrânia mais recursos para armas. Mas eles rejeitaram o pedido da Ucrânia para se juntar ao bloco.

Em uma reunião com o presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, Putin disse que houve “certas mudanças positivas” nas negociações com Kiev, mas não deu mais detalhes.

PREPARAÇÃO

Com o ataque russo agora em sua terceira semana, Zelenskiy, que tem unido seu povo com uma série de discursos, disse que a Ucrânia “já atingiu um ponto de virada estratégico”.

“É impossível dizer quantos dias ainda temos (pela frente) para libertar a terra ucraniana. Mas podemos dizer que o faremos”, declarou ele. “Já estamos caminhando em direção ao nosso objetivo, nossa vitória.”

A principal força de ataque da Rússia está parada nas estradas ao norte de Kiev, tendo falhado no que analistas ocidentais dizem que era um plano inicial para um ataque relâmpago.

Mas imagens divulgadas pela empresa privada de satélites norte-americana Maxar mostraram unidades blindadas manobrando dentro e perto de cidades próximas a um aeroporto na periferia noroeste de Kiev, local de combates desde que a Rússia desembarcou paraquedistas lá nas primeiras horas da guerra.

Outros elementos foram reposicionados perto de Lubyanka, ao norte, com morteiros em posições de disparo, segundo a Maxar.

O Ministério da Defesa britânico disse que a Rússia parece estar se preparando para novas atividades ofensivas nos próximos dias, que provavelmente incluirão operações contra Kiev.

No entanto, as forças terrestres russas ainda estavam fazendo apenas progressos limitados, prejudicados por problemas logísticos e resistência ucraniana, disse o ministério em sua atualização de inteligência.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas