“Não consigo imaginar que haveria essa invasão sem a confirmação da China”, diz Leandro Ruschel sobre a guerra na Ucrânia

O especialista afirmou que a economia americana é totalmente dependente da economia chinesa

Em reunião virtual, juntamente com o presidente da França, Emmanuel Macron, e o premiê alemão, Olaf Scholz, o Xi Jinping, líder da China, pediu “moderação máxima” no conflito na Ucrânia e afirmou que a China está “aflita por ver as chamas da guerra recomeçarem na Europa”.

O sócio-fundador da Liberta Investimentos, Leandro Ruschel, afirmou que a China faz uma política interna muito inteligente. Dado que, se não fosse a luz verde dada por Xi Jinping para Putin, ele jamais teria invadido, disse Ruschel.

“Não consigo imaginar que haveria essa invasão sem a confirmação da China”, disse Leandro Ruschel em participação na programação especial da BM&C

Ruschel afirmou que os chineses estão fazendo um jogo duplo, onde estão mostrando para o mundo uma face em que dizem estar isentos e apaziguadores. “Na verdade, os chineses são os principais aliados dos russos”.

Portanto, o especialista destacou que a China quer sair como os pacificadores globais diante dessa guerra. “Justamente para desbancar a posição americana de grande pacificador do mundo”.

Por fim, Ruschel questiona o porquê das sanções acontecerem apenas com a Rússia, sendo que a China está viabilizando essa guerra e tem seus problemas em relação aos direitos humanos, manutenção nos campos de concentração. 

“Isso acontece porque a economia americana está atrelada à economia chinesa”, finalizou Leandro.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas