Ibovespa encerra dia em queda com Vale em forte baixa

Índice Bovespa foi pressionado pelas ações da Vale (VALE 3), que finalizou o dia com queda de quase 4% em decorrência da queda do minério de ferro
Ibovespa gráficos

O Ibovespa encerrou o dia em queda e dentro da faixa dos 113 mil pontos nesta quinta-feira (16), pressionado pela queda da Vale (VALE3), que finalizou com baixa de quase 4% devido à queda do preço do minério de ferro na China. O cenário político está movimentado em Brasília, com as conversas sobre a reforma do Imposto de Renda e a administrativa, além da PEC dos Precatórios.

No Estados Unidos, as bolsas se recuperaram parcialmente e fecharam mistas. O declínio do setor de tecnologia e de ações do segmento de energia em meio à queda dos preços do petróleo são os principais responsáveis. Dados sobre as vendas no varejo dos EUA também estão no radar.

Veja mais:

Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em queda de 1,13%, cotado a 113.766,96 pontos.

dólar fechou em alta de 0,53%, cotado a R$ 5,265.

Nos EUA, as bolsas fecharam mistas. O S&P 500 indicou -0,15% (4.473,90), o Nasdaq registrou +0,13% (15.181,92), enquanto o Dow Jones ficou em -0,18% (34.751,12).

Confira outros destaques desta quinta:

Discussão sobre Auxílio Brasil deve se ‘afunilar’ em outubro, novembro, diz Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira, 16, que a discussão sobre o Auxílio Brasil e a origem dos recursos para bancar o programa deve se “afunilar” entre os meses de outubro e novembro, sendo “imperioso” que o debate aconteça até 31 de outubro. Lira defendeu que a matéria tramite sem nenhum sobressalto ou “invenção milagrosa”.

Em agosto, o governo enviou a proposta de Orçamento para 2022 deixando de lado o aumento no Bolsa Família, rebatizado de Auxílio Brasil. A necessidade de uma fonte de recursos para justificar a criação do novo programa foi ressaltada por Lira nesta quinta, durante live promovida pela Necton Investimentos.

Ministro diz que até fim do ano algumas cidades já terão 5G funcionando

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou nesta quinta-feira que São Paulo e algumas outras capitais do país terão redes 5G puras funcionando, em meio a dúvidas sobre quando o leilão das frequências de uso da tecnologia poderá ocorrer.

O conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Moisés Moreira pediu vista e adiou na segunda-feira a análise do edital do leilão da tecnologia 5G. No mesmo dia, Faria convocou a imprensa para dizer que a decisão poderia gerar “prejuízo de 100 milhões de reais por dia” ao país.

“Até julho do ano que vem, todas as capitais terão 5G standalone funcionando. No Natal deste ano, já vamos ter em São Paulo 5G standalone funcionando. Tenho certeza disso”, disse Faria em evento do setor transmitido pela internet.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas