EUA adicionam ‘Cryptoqueen’ à lista dos mais procurados por suposta fraude de US$ 4 bilhões

O FBI está oferecendo uma recompensa de US$ 100 mil por informações que levem à captura de Ignatova

Uma cidadã alemã acusada de fraudar investidores em US$ 4 bilhões vendendo uma criptomoeda falsa chamada OneCoin foi adicionada à lista dos dez fugitivos mais procurados pelo FBI – (sigla em inglês para Departamento Federal de Investigação) -, disseram autoridades dos Estados Unidos nesta quinta-feira (30).

Ruja Ignatova, também conhecida como “Cryptoqueen”, foi acusada em 2019 de oito acusações, incluindo fraude eletrônica e fraude de valores mobiliários, por administrar a OneCoin Ltd, com sede na Bulgária, como um esquema de pirâmide. Os promotores dizem que a empresa ofereceu comissões aos membros para atrair outros a comprar uma criptomoeda sem valor.

“Ela cronometrou seu esquema perfeitamente, capitalizando a especulação frenética dos primeiros dias da criptomoeda”, disse Damian Williams, o principal promotor federal de Manhattan.

Williams descreveu a OneCoin como “um dos maiores esquemas Ponzi da história”.

Ignatova desapareceu no final de 2017 depois de grampear um apartamento pertencente a seu namorado americano e descobrir que ele estava cooperando com uma investigação do FBI sobre a OneCoin, disse Williams. Ela embarcou em um voo da Bulgária para a Grécia e não foi vista desde então, disse ele.

O FBI está oferecendo uma recompensa de US$ 100 mil por informações que levem à captura de Ignatova, disse Michael Driscoll, diretor-assistente do FBI em Nova York.

Driscoll se recusou a comentar quaisquer pistas sobre onde Ignatova poderia estar. A agência adiciona fugitivos à sua lista de mais procurados quando acredita que o público pode ajudar a rastrear suspeitos.

“Ela saiu com uma quantia enorme de dinheiro”, disse Driscoll a repórteres. “Dinheiro pode comprar muitos amigos, e imagino que ela esteja se aproveitando disso.”

Ignatova foi acusado ao lado de Mark Scott, um ex-advogado corporativo que, segundo os promotores, lavou cerca de US$ 400 milhões para a OneCoin. Scott foi considerado culpado de conspiração para cometer lavagem de dinheiro e conspiração para cometer fraude bancária após um julgamento de três semanas no tribunal federal de Manhattan.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas