Saiba quem é o influenciador com 1 milhão de seguidores, preso por lavagem de dinheiro

Klebim, dono do canal 'Estilo Dub', é suspeito de fazer rifas irregulares de veículos e lavar recursos

O influenciador digital, Kleber Moraes, conhecido nas redes sociais como Klebim, do canal Estilo Dub, foi preso, na manhã desta segunda-feira (21), na operação “Huracán”, da Polícia Civil do Distrito Federal, juntamente com mais três homens. 

Kleber costumava compartilhar carros luxuosos nas redes sociais, com mais de 1 milhão de seguidores. Em um perfil, o influenciador publicava uma série de fotos junto a veículos que chegam a custar R$ 3 milhões.

Os investigadores buscam a atuação de um grupo acusado de exploração de jogos de azar, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Até o momento, os agentes apreenderam pelo menos nove carros de luxo, além de diversos outros veículos e um jet ski.

De acordo com a Polícia Civil, Kleber está sendo investigado como suposta liderança de uma “associação criminosa interestadual” que teria faturado R$ 20 milhões em menos de dois anos.

A Justiça determinou a prisão temporária dos suspeitos por cinco dias. Além disso, foram expedidos oito mandados de busca e apreensão nos endereços dos investigados, e o bloqueio de R$ 10 milhões de contas deles. 

Como funcionava na prática?

Segundo as investigações, os suspeitos realizam rifas de carros de maneira ilegal. Uma vez que a esta prática é proibida pelo governo federal, e lavavam os recursos arrecadados através da compra de carros, registrados em nomes de “laranjas” ou empresas de fachada.

Como os membros da operação possuíam milhares de seguidores, os investigados pela operação vendiam facilmente as rifas, de acordo com a polícia.

As apurações tiveram início, após a Polícia Civil receber denúncias sobre o caso. De acordo com os investigadores, os veículos rifados eram preparados com rodas, suspensão e som especiais, e os sorteios eram anunciados em um site. 

O advogado José Sousa de Lima, que representa os alvos da operação, publicou em nota,  que “essa prisão é completamente arbitrária, desproporcional e ilegal. Fruto de uma pirotecnia para criar constrangimentos e fatos midiáticos. Confiamos que o Poder Judiciário corrigirá essa arbitrariedade revogando imediatamente essa prisão”.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas