Adolfo Lutz confirma os dois primeiros casos da variante ômicron no Brasil

O casal, um homem de 41 anos e uma mulher de 37, provenientes da África do Sul, desembarcou em São Paulo no dia 23 de novembro
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

O Instituto Adolfo Lutz confirmou nesta terça-feira (30) os dois primeiros casos da variante ômicron (B.1.1.529), da Covid-19, no Brasil. A confirmação foi feita após sequenciamento genético no laboratório do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. 

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, o casal, um homem de 41 anos e uma mulher de 37, provenientes da África do Sul, desembarcou em São Paulo no dia 23 de novembro. Eles apresentaram teste PCR negativo. No dia 25, os dois realizaram novos exames para retornar ao país africano, onde ambos apresentaram resultado positivo. 

“Diante do diagnóstico positivo, o casal foi orientado a permanecer em isolamento domiciliar. Ambos estão sob monitoramento das Vigilâncias estadual e municipal de São Paulo, juntamente com seus respectivos familiares”, diz a Secretaria em nota. 

A Secretaria informou ainda que o Instituto Adolfo Lutz monitora “o sequenciamento genético referente ao caso comunicado à Vigilância estadual no domingo (28). O passageiro com origem da Etiópia não apresentava sintomas e, por ter visitado a África do Sul, buscou a testagem no aeroporto de Guarulhos”.

“A responsabilidade no monitoramento nos aeroportos é da Anvisa e, até o momento, o Governo Federal não exige comprovante de vacinação contra Covid-19 de viajantes estrangeiros para entrada no país”, afirma em nota.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas