Brasil BioFuels alcança “Grau de Investimento” pela agência Fitch; perspectiva positiva

No seu reporte ao mercado, a Fitch afirma que “o rating reforça perspectivas positivas para os negócios da BBF"

A Brasil BioFuels (BBF), empresa brasileira que atua no agronegócio desde o cultivo de palma, trading, produção de biocombustíveis e geração de energia renovável, atingiu o rating BBB – em análise da Fitch Rating, uma das maiores agências de classificação de risco de crédito do mundo. A classificação configura a empresa como boa oportunidade de investimentos com baixo risco especulativo e boa capacidade de pagamento.

No seu reporte ao mercado, a Fitch afirma que “o rating reforça perspectivas positivas para os negócios da BBF e destaca as estratégias de longo prazo da empresa”, que tem investido cada vez mais na diversificação de biocombustíveis. A agência explica, ainda, que o patamar BBB- também reflete “a expectativa de melhor perfil de negócios e de maior previsibilidade da geração operacional de caixa após a entrada em operação de suas usinas termelétricas em construção, com conclusão esperada para 2022 e 2023”. 

Ainda segundo a Fitch, a empresa apresenta “limitada exposição ao risco de demanda na venda de óleo de palma (CPO), como resultado de contratos de venda firmados e do potencial uso em suas geradoras”.

A BBF fabrica biodiesel e produzirá biomassa a partir do óleo de palma de plantio próprio. A empresa possui usina produtora de biodiesel em Rondônia e, em 2025, vai inaugurar uma biorrefinaria na Zona Franca de Manaus que produzirá dois novos biocombustíveis no mercado brasileiro: o combustível sustentável de aviação (SAF) e o diesel verde (HVO). A Biorrefinaria receberá o investimento de R$ 2,2 bilhões e produzirá anualmente 250 milhões de litros de HVO e 280 milhões de litros de SAF.

Os projetos no pipeline foram fundamentais para atingir a classificação, segundo a Fitch: “o plano de crescimento da companhia prevê maior verticalização dos seus negócios, com redução da exposição à volatilidade do óleo de palma (CPO). A utilização do óleo de palma para consumo interno na produção de biodiesel e geração elétrica atualmente é imaterial e a conclusão das usinas termelétricas, com energia vendida através de contratos de compra e venda energia (PPAs) de longo prazo, aumentará a estabilidade do fluxo de caixa”.

A BBF é a maior produtora de palma de óleo na América Latina, com área cultivada superior a 68 mil hectares e produção de cerca de 200 mil toneladas/ano óleo e uma das pioneiras na criação de soluções sustentáveis para a geração de energia nos sistemas isolados: usinas movidas a biodiesel produzido na região.

A companhia possui 24 usinas termelétricas em operação na região Norte e outras 14 em fase de implementação, que atendem atualmente 110 mil clientes nortistas, proporcionando a retirada de mais de 60 milhões de litros de diesel fóssil por ano da atmosfera amazônica.

A empresa está expandindo sua oferta de biocombustíveis e firmou  parcerias para produção de Combustível Sustentável de Aviação (SAF) e de Óleo Vegetal Hidrotratado (HVO), também chamado de diesel verde.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas