Ibovespa fecha em queda descolado das bolsas em NY

O Ibovespa acabou sem fôlego para acompanhar a trajetória positiva de Wall St, seguindo abaixo dos 100 mil pontos

O Ibovespa fechou com uma leve queda nesta terça-feira, sem fôlego para acompanhar a trajetória positiva de Wall St e seguindo abaixo dos 100 mil pontos, enfraquecido por preocupações com riscos domésticos.

Nesta terça, o mercado reagiu à divulgação da ata do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central.

No documento, a autoridade monetária reforçou um novo aumento da Selic de igual ou menor magnitude na próxima reunião e destacou que o último aumento de 0,5 ponto percentual foi apropriado diante das pressões inflacionárias.

“Dada a persistência dos choques recentes, o Comitê avaliou que somente a perspectiva de manutenção da taxa básica de juros por um período suficientemente longo não asseguraria, neste momento, a convergência da inflação para o redor da meta no horizonte relevante. O Comitê optou então, por sinalizar, um novo ajuste de igual ou menor magnitude”, diz o texto.

Entre os indicadores do dia, a FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgou o Monitor do PIB, que aponta crescimento de 0,3% na atividade econômica em abril na comparação com o mês anterior, considerando-se dados com ajuste sazonal.

Na comparação interanual, a economia cresceu 3,6% em abril e 2,8% no trimestre móvel findo em abril.

No campo corporativo, a Oi (OIBR3) anunciou em fato relevante na última segunda-feira (20) que adiou pela segunda vez a divulgação de resultados do primeiro trimestre deste ano. A nova data passou para a próxima terça-feira (28).

A justificativa que a companhia deu está na venda da Infraco, unidade da Oi dedicada à construção de infraestrutura óptica, e da Oi Móvel, vendida às concorrentes TIM (TIMS3), Claro e Vivo (VIVT3). Isso fez com que o impacto das vendas nas demonstrações financeiras da empresa de telefonia atrasassem a divulgação.

 No entanto, a Oi antecipou, de forma preliminar, a divulgação dos principais dados do balanço. Segundo a empresa, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de rotina – indicador de caixa operacional –, foi de R$ 1,220 bilhão, alta de 8,1% sobre o primeiro trimestre do ano passado.

Fechamento de mercado

Ibovespa: 99.684,50 (-0,17%)
S&P 500: 3.764,85 (+2,45%)
Nasdaq: 11.069,30 (+2,51%)
Dow Jones: 30.532,17 (+2,15%)
Dólar: R$ 5,153 (-0,63%)

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas