EUA devem ter registrado crescimento sólido do emprego em maio, taxa de desemprego é estimada em 3,5%

As estimativas variaram de abertura de 250.000 vagas a 477.000

 A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos provavelmente aumentou em maio, com a taxa de desemprego provavelmente caindo para a mínima pré-pandemia de 3,5%, sinais de um mercado de trabalho apertado que pode manter o Federal Reserve na trajetória de esfriar a demanda.

O relatório de emprego do Departamento do Trabalho, a ser divulgado nesta sexta-feira, também deve mostrar fortes ganhos salariais no mês passado, pintando um quadro de uma economia que continua a se expandir, embora a um ritmo moderado

O Fed está tentando diminuir a demanda por mão de obra para domar a inflação, sem elevar demais a taxa de desemprego. A postura monetária do banco central dos EUA de maior agressividade contra a inflação e o aperto das condições financeiras que a acompanham deixaram os investidores temerosos de uma recessão no próximo ano.

“Este relatório vai continuar mostrando sinais de um mercado de trabalho apertado e, quando combinado com o ambiente de inflação elevada em que nos encontramos, dá ao Fed a confiança de que eles precisam permanecer em seu caminho de aperto substancial da política monetária”, disse Sam Bullard, economista sênior da Wells Fargo.

De acordo com pesquisa da Reuters com economistas, os EUA provavelmente abriram 325.000 postos de trabalho fora do setor agrícola no mês passado, após 428.000 em abril. ]

Esse seria o menor ganho em um ano e encerraria 12 meses consecutivos de criação acima de 400.000, a maior série registrada.

As estimativas variaram de abertura de 250.000 vagas a 477.000.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas