Ações da China tocam máxima em 5 semanas com entrada de fluxo estrangeiro antes de reabertura de Xangai

A cidade de Xangai deve flexibilizar as restrições da Covid-19 à meia-noite de quarta-feira para moradores de áreas de baixo risco, marcando o fim de um lockdown de dois meses para a maior parte da cidade

 As ações chinesas fecharam em máximas de cinco semanas nesta terça-feira, lideradas por um rali nos papéis de consumo e tecnologia, com o mercado local testemunhando seus maiores fluxos estrangeiros deste ano antes da iminente reabertura econômica de Xangai e flexibilização das restrições da Covid-19.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 1,6%, ao maior nível desde 19 de abril, enquanto o índice de Xangai teve alta de 1,2%.

No mês, o índice CSI300 teve seu maior salto este ano, de 1,9%.

A cidade de Xangai deve flexibilizar as restrições da Covid-19 à meia-noite de quarta-feira para moradores de áreas de baixo risco, marcando o fim de um lockdown de dois meses para a maior parte da cidade.

Mas é improvável que o impacto econômico dos lockdowns passe rapidamente, com áreas públicas limitando o fluxo de pessoas e residentes sujeitos a monitoramento de perto e testes regulares.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei caiu 0,33%, a 27.279,80.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 1,38%, a 21.415 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 1,19%, a 3.186 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 1,55%, a 4.091 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,61%, a 2.685 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 1,19%, a 16.807 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,20%, a 3.232 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 1,03%, a 7.211 pontos.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas