“É possível que tenha em algumas regiões o desabastecimento do trigo”, afirma economista

Em relação aos preços, Simone Pasianotto disse que já nas próximas duas ou três semanas será perceptível no Brasil

Uma proibição à exportação de trigo da Índia segurou cerca de 1,8 milhão de toneladas de grãos nos portos, potencialmente causando grandes perdas para comerciantes que têm agora perspectiva de vender no mercado interno por valores mais baixos, disseram quatro negociantes à Reuters.

De acordo com a Simone Pasianotto, economista-chefe da Reag Investimentos, diversos países poderão sofrer com o desabastecimento do trigo: “É possível que a gente tenha sim em algumas regiões o desabastecimento do insumo, porque ele não é substituível por outro produto. A base dele para a alimentação humana é a base para produtos industrializados em grande escala”, avaliou durante transmissão ao vivo da BM&C News.

Pasianotto explicou que os contratos de trigo, normalmente, tem duração média de dois a três meses, por isso, é provável que em dois meses a população brasileira terá um impacto mais factível de abastecimento.

No entanto, em relação aos preços, já nas próximas duas ou três semanas será perceptível. “O Brasil vai ser afetado marginalmente, com uma probabilidade baixa de fazer desabastecimento, mas a alta dos preços com certeza deve acontecer”, disse.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas