Ibovespa fecha em alta seguindo bom humor do mercado internacional

O setor financeiro destacou-se como a maior influência para o avanço do Ibovespa, com destaque para alta do Bradesco

Nesta terça-feira (17), o Ibovespa terminou o pregão no azul, marcado a quinta alta seguida, diante de cenário de apetite ao risco nos mercados internacionais.

O setor financeiro destacou-se como a maior influência para o avanço do índice, com destaque para alta do Bradesco. O grupo de saúde Hapvida desabou na ponta contrária, assim como o Magazine Luiza, ambos após resultados do primeiro trimestre.

Nesta terça-feira o mercado repercutiu os dados da economia europeia divulgados mais cedo. O PIB (Produto Interno Bruto) da zona do euro cresceu 5,1% no primeiro trimestre na comparação anual, segundo dados revisados divulgados pela agência de estatísticas Eurostat.

 Na comparação trimestral o crescimento foi de 0,3%. Os números mostram que a economia do bloco manteve o crescimento verificado no final do ano anterior – a despeito da guerra na Ucrânia, iniciada no final de fevereiro e que teve grande impacto sobre vários setores, principalmente de energia.

Nos Estados Unidos, as vendas no varejo cresceram 0,9% no mês passado, informou o Departamento de Comércio nesta terça-feira. 

Por lá, os investidores também aguardam o discurso de Jerome Powell, presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA), às 15h, durante participação em evento do Wall Street Journal. O chairman poderá dar sinais sobre a intensidade do aperto monetário dos EUA e mexer com os rumos do mercado nesta terça.

Aqui no Brasil, o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,10% em maio, segundo dados da FGV (Fundação Getulio Vargas). No mês anterior, o índice havia registrado alta de 2,48%. Com esse resultado, o índice acumula alta de 7,73% no ano e de 12,13% em 12 meses.

Segundo a FGV, a queda verificada entre abril e maio nos preços de grandes commodities agrícolas (de 0,23% para -1,72%) e minerais (de 0,77% para -3,17%) contribuiu para a queda da inflação ao produtor, que tem maior peso no IGP-10.

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em alta de +0,51%, cotado a 108.789,33 pontos.

dólar comercial fechou em queda de -2,15%, cotado a R$ 4,9429

Nos Estados Unidos, as bolsas fecharam em alta. O S&P 500 fechou subindo em +2,02% (4.088,93), a Dow Jones registrou variação positiva de +1,34% (32.655,05), enquanto a Nasdaq encerrou o dia em alta de +2,76% (11.984,52).

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas