Alta nos juros, balanços trimestrais: O que ocorreu na semana

Confira as notícias que movimentaram o mercado nesta semana

A semana no mercado acionário global teve como principal ator a decisão de política monetária do Federal Reserve, o banco central norte-americano, que elevou a sua taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual. Junto ao Fed, o BC brasileiro também elevou a sua taxa de juros, em 1 p.p., para 12,75%.

A temporada de balanços continuou forte nesta semana e grandes companhias divulgaram resultados robustos, como foi o caso da Petrobras (PETR3; PETR4), que anunciou lucro líquido de R$ 44 bilhões no primeiro trimestre.

Confira essas e outras notícias que aconteceram na semana:

UCRÂNIA X RÚSSIA

O presidente russo, Vladimir Putin, poderá aproveitar o dia 9 de maio para iniciar uma maior mobilização de tropas e declarar guerra contra a Ucrânia formalmente, acreditam oficiais dos Estados Unidos e do Ocidente. O dia 9 de maio é conhecido como o “Dia da Vitória”, quando as forças da extinta União Soviética derrotaram os Nazistas em 1945.

Autoridades ocidentais acreditam que Putin aproveitaria o significado simbólico para anunciar conquistas militares na Ucrânia, uma grande escalada de hostilidades, ou ambos. Hoje, Putin chama a invasão na Ucrânia como uma “operação militar especial”.

TAXA DE JUROS ESTADOS UNIDOS

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), do Federela Reserve, decidiu aumentar a taxa básica de juros dos Estados Unidos em 0,5 ponto percentual, para um intervalo entre 0,75% a 1,00%. A decisão já era esperada pelo mercado, já que a inflação não mostra sinais de recuar e pode aumentar ainda mais devido à invasão da Ucrânia pela Rússia e as restrições na China para conter o surto de Covid-19.

JEROME POWELL

O presidente do Fed, Jerome Powell, deixou claro que um aumento de 0,75% p.p. nos juros não é uma possibilidade neste momento, mas a intenção é continuar com altas de 0,50 p.p., dizendo ser “essencial baixar a inflação para que se tenha estabilidade na economia americana”.

TAXA SELIC

Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, aumentou em 1 ponto percentual a taxa básica de juros, a Selic, passando de 11,75% para 12,75% ao ano. Essa é a décima alta seguida da taxa. Apesar disso, a surpresa ficou por conta da intenção do BC de continuar o ciclo de alta em junho, com um “ajuste de menor magnitude”. O anúncio contrariou a intenção do presidente da autarquia, Roberto Campos Neto, que afirmou a intenção de encerrar os aumentos neste mês. 

OPEP+

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) manteve o seu ajuste de aumento de produção de petróleo em 432 mil barris por dia (bpd) para o mês de junho. De acordo com a declaração, o cartel observou os efeitos contínuos de fatores geopolíticos — como o conflito entre Rússia e Ucrânia — e questões relacionadas à pandemia de Covid-19 em andamento.

INDICADORES

O principal dado econômico foi o relatório de emprego dos Estados Unidos (payroll), que mostrou a criação de 428 mil empregos em abril, acima das expectativas do mercado, que esperava cerca de 391 mil novas vagas não agrícolas em abril. Além disso, a taxa de desemprego se manteve estável em 3,6% no país norte-americano no quarto mês de 2022.

No Brasil, a produção apontou uma alta de 0,3% em março quando comparado a fevereiro, resultado foi levemente acima do esperado de crescimento de 0,2% no período. Na comparação anual, a indústria teve recuo foi de 2,1%. O IGP-DI, por sua vez, subiu 0,41% em abril. O resultado levou o índice a acumular alta de 6,44% no ano e 13,53% em 12 meses.

PETROBRAS

A Petrobras foi o principal assunto no campo corporativo, registrando um lucro líquido de R$ 44,561 bilhões no 1T22, resultado que significa uma alta de 3.718%, frente os R$ 1,167 bilhão registrados no 1T21. Além disso, a petroleira também anunciou a distribuição de dividendos em R$ 3,715490 por ação e pagamento em duas parcelas, com a primeira sendo em 20 de junho e a segunda em 20 de julho.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas