Destaques da Bolsa: Totvs (TOTS3) e CSN (CSNA3) têm forte queda após balanço

Confira os destaques desta quinta-feira (5)

O Ibovespa opera em queda, nesta quinta-feira (5), com os investidores repercutindo as decisões sobre a taxa de juros tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos. 

Às 12h50, o Ibovespa caía 3,35%, aos 104.653 pontos. 

A Totvs (TOTS3) tem forte queda de 11,81%, após a companhia divulgar os resultados do primeiro trimestre. 

Ainda com o balanço trimestral, CSN (CSNA3) cai 8,76%, BRF (BRFS3) recua 6,74%, PetroRio (PRIO3) tem baixa de 3,48% e Ambev (ABEV3) registra perdas de 4,32%.

Após forte alta na véspera, Magazine Luiza (MGLU3) desvaloriza 10,71% e Americanas (AMER3) perde 7,25%. 

As ações da Petrobras (PETR3;PETR4) caem mais de 2%. A estatal divulga os resultados do primeiro trimestre nesta quinta-feira.

Entre as poucas altas, a Suzano (SUZB3) sobe 1,21%, em meio à alta do dólar e após a companhia lucrar R$ 10,3 bilhões no primeiro trimestre. Klabin (KLBN11) também avança 2,02%.

Confira os destaques desta quinta-feira: 

Suzano (SUZB3)

A Suzano reportou lucro líquido de R$ 10,3 bilhões no primeiro trimestre de 2022, revertendo prejuízo de um ano antes.

A receita líquida foi de R$ 9,7 bilhões, aumento de 10% em relação ao primeiro trimestre de 2021. O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 5,1 bilhões, crescimento de 5% na comparação anual.

Além disso, a Suzano aprovou um novo programa de recompra de ações. A companhia poderá adquirir até 20 milhões de SUZB3, sem redução de capital social, pelo prazo máximo de 18 meses. Esse limite de compra representa 2,8% das ações em circulação.

PetroRio (PRIO3) 

A PetroRio informou, nesta quarta-feira (4), que registrou lucro líquido de US$ 228 milhões no primeiro trimestre de 2022, revertendo prejuízo de um ano antes.

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de US$ 229 milhões. O número representa crescimento de 193%.

A receita líquida somou US$ 310 milhões, avanço de 158% quando comparado com o mesmo trimestre de 2021.

Oi (OIBR3;OIBR4)

Com mais de um mês de atraso, a Oi divulgou os resultados do 4T21 na noite de quarta-feira. A companhia registrou um prejuízo de R$ 1,669 bilhão, revertendo lucro líquido de R$ 1,798 bi no mesmo período de 2020.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de rotina totalizou R$ 1,612 milhões, apresentando crescimento de 8,1% em relação ao 4T20 e de 10,4% na comparação com o 3T21.

No 4T21, a receita líquida consolidada da Oi totalizou R$ 4,571 milhões, apresentando uma queda de 4,3% em relação ao 4T20.

Ambev (ABEV3)

A cervejaria, Ambev (ABEV3) reportou um lucro líquido com crescimento de 29,1% no primeiro trimestre de 2022 frente ao mesmo período em 2021, perante o aumento de volume de produção de cervejas. Entre janeiro e março deste ano, o lucro líquido da Ambev ficou em  R$ 3,53 bilhões, superior às expectativas do mercado de R$ 2,79 bilhões.

A receita líquida trimestral da Ambev subiu 10,8% ano a ano, para R$ 18,44 bilhões, relativamente superior à estimativa do mercado de R$ 18,03 bilhões.

Já o resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado cresceu 3,7% no trimestre frente ao mesmo período em 2021, para R$ 5,52 bilhões. Por outro lado, a margem Ebitda ajustada caiu 2 pontos percentuais, a 30%.

CSN (CSNA3)

A CSN informou nesta quarta-feira que teve lucro líquido de 1,36 bilhão de reais no primeiro trimestre, queda de 76% ante mesma etapa de 2021, em meio a maiores custos operacionais e piora na linha financeira.

O resultado operacional da companhia entre janeiro e março, medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de 4,72 bilhões de reais, queda de 19% ano a ano, porém acima da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 4,33 bilhões de reais.

Gerdau (GGBR4)

A Gerdau divulgou nesta quinta-feira lucro líquido de primeiro trimestre 17% menor em relação aos três meses anteriores, a 2,94 bilhões de reais, com resultados mais fracos no Brasil compensando melhoria na América do Norte.

A margem Ebitda doméstica da Gerdau caiu 7,2 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior para 24,3%. A empresa mencionou no balanço que as vendas ficaram quase estáveis ​​em um nível alto, mas o cenário geral apresentou desafios à medida que as taxas de juros aumentam.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas