Destaques da Bolsa: Magalu (MGLU3) e Americanas (AMER3) lideram altas do Ibovespa

Confira os destaques desta quarta-feira (4)

O Ibovespa fechou em alta, nesta quarta-feira (4), após decisão sobre a taxa de juros nos Estados Unidos. O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) decidiu aumentar, nesta quarta-feira, a taxa básica de juros do país em 0,5 ponto percentual, para um intervalo entre 0,75% a 1,00%.

O principal índice da B3 fechou em alta de 1,70%, aos 108.344 pontos.

Liderando o Ibovespa, Magazine Luiza (MGLU3) valorizou 7,61% e a Americanas avançou 7,54%.

As ações da Petrobras (PETR3;PETR4) registraram alta de 4,72% e 6,02%, respectivamente. PetroRio (PRIO3) subiu 5,81% e 3R Petroleum (RRRP3) ganhou 4,68%. 

Klabin (KLBN11) também avançou 4,81%, após anunciar o pagamento de R$ 346 milhões em dividendos.

Marfrig (MRFG3) teve forte queda de 7,76%. A companhia divulgou os resultados do primeiro trimestre nesta terça-feira (3). JBS (JBSS3) registrou baixa de 3,04%.

Vale (VALE3) também caiu 0,84%, enquanto a CSN (CSNA3) teve ganhos de 2,63%.

Confira os destaques desta quarta-feira:

Marfrig (MRFG3)

A Marfrig divulgou o balanço do primeiro trimestre, nesta terça-feira (3). A companhia registrou lucro líquido de R$ 109 milhões no período, queda de 61,1% na comparação anual. 

A receita líquida ficou em R$ 22,3 bilhões, avanço de 29,6% em relação ao mesmo trimestre de 2021. 

Já o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado foi de R$ 2,7 bilhões, crescimento de 60,9% quando comparado com o primeiro trimestre do ano anterior.

Cielo (CIEL3)

A Cielo anunciou nesta terça-feira que seu lucro líquido recorrente de janeiro a março somou 184,6 milhões de reais, alta de 35,9% sobre um ano antes.

Segundo a Cielo, também em bases recorrentes, o resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) consolidado registrou expansão de 52,1%, para 711,5 milhões de reais.

De acordo com o relatório de resultados, a receita liquida do período alcançou 2,76 bilhões de reais, alta de 1,5%. Mas excluindo a venda da Multidisplay, em novembro, o crescimento foi de 15,2%.

Raia Drogasil (RADL3)

A Raia Drogasil registrou lucro líquido ajustado de R$ 145,3 milhões no primeiro trimestre, recuo de cerca de 18% ante mesmo período do ano passado. 

A empresa apurou um fluxo de caixa livre negativo de R$ 320,65 milhões de reais no período, revertendo quadro positivo em 269,2 milhões no final do ano passado e acima dos 105 milhões negativos do primeiro trimestre de 2021.

A RD teve resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de R$ 388,4 milhões no trimestre, queda de 6,6% ano a ano e recuo ante os R$ 448,1 milhões do quarto trimestre do ano passado.

Klabin (KLBN11)

A Klabin  aprovou, nesta terça-feira (3), o pagamento de dividendos intermediários no valor de R$ 346 milhões, que representam R$ 0,06288336440 por ação ordinária ou preferencial ou R$ 0,31441682200 por Unit.

O pagamento dos dividendos será realizado em 18 de maio de 2022, com base na posição acionária de 6 de maio. Sendo assim, as ações passarão a ser negociadas “ex-dividendos” a partir de 9 de maio.

Taesa (TAEE11)

A Taesa aprovou o pagamento de R$ 800,2 milhões em dividendos, equivalentes a R$ 0,7743 por ação ordinária ou preferencial e R$ 2,3230 por unit.

Terão direito ao provento os acionistas com ações da companhia até o dia 9 de maio de 2022. Assim, os papéis da Taesa serão negociados como “ex-dividendos” a partir de 10 de maio. O pagamento será realizado no dia 31 de maio.

Com Reuters

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas