Ibovespa cai no primeiro pregão do mês; bolsas dos EUA também recuam

O principal índice da B3 tem queda de 0,73% aos 107.084 pontos

O Ibovespa opera em queda no primeiro pregão do mês, em linha com os mercados acionários dos EUA.

Às 10h38, o principal índice da B3 tinha queda de 0,73% aos 107.084 pontos.

Em Nova York, os índices também operam com sinais negativos. O S&P 500 tem baixa de 0,26%, o Nasdaq cai 0,35%, enquanto o Dow Jones recua 0,32%.

Os investidores aguardam a “super quarta”, dia em que saem as decisões sobre as taxas de juros tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos.

Por aqui, a expectativa dos analistas é que o Banco Central eleve a Selic em 1 ponto percentual para 12,75% ao ano. Apesar do aumento já estar precificado pelo mercado, a dúvida fica em relação a continuidade do aperto monetário ou se ele se encerra nesta reunião.

Nos EUA, a expectativa é que o Fomc aumente a taxa de juros 0,5 p.p  para o nível entre 0,75% a 1% ao ano nesta quarta-feira.

Entre as principais notícias do dia, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), teve alta de 0,34% no mês de fevereiro ante janeiro, segundo o dado dessazonalizado divulgado pelo BC na manhã desta segunda-feira.

O resultado ficou abaixo do consenso Refinitiv pelo segundo mês seguido, que projetava uma alta de 0,5%. Em janeiro, o IBC-Br recuou 0,99%, também fora das expectativas do mercado.

Na Europa, o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da S&P Global caiu para a mínima de 15 meses de 55,5 em abril em relação aos 56,5 de março, pouco acima da preliminar de 55,3 e ainda confortavelmente acima da marca de 50 que separa o crescimento da contração.

Mas um subíndice que mede a produção afundou de 53,1 para 50,7, seu ponto mais baixo desde junho de 2020, quando o bloco estava enfrentando a primeira onda da pandemia do coronavírus.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas