Em reunião anual da Berkshire Hathaway, Buffett faz críticas ao Bitcoin e operações de Day Trade

William Castro Alves, da Avenue, participou do evento onde Warren Buffett respondeu a perguntas sobre a companhia e o mercado de investimentos norte-americano

No último sábado (30), aconteceu a reunião anual da Berkshire Hathaway em uma arena no centro da cidade de Omaha, Nebraska.

William Castro Alves, da Avenue, participou do encontro e explicou que o investidor bilionário Warren Buffett, que é presidente e diretor-executivo da Berkshire, respondeu a perguntas sobre a companhia e o mercado.

O evento aconteceu logo após a Berkshire revelar que havia comprado mais de 51 bilhões de dólares em ações no primeiro trimestre, incluindo uma participação muito maior na Chevron Corp, e que agora parou de recomprar suas próprias ações. 

Entre as declarações, Buffett criticou os excessos de Wall Street, dizendo que o mercado de ações às vezes se assemelha a um cassino ou parceiro de jogo. “Isso existiu em um grau extraordinário nos últimos dois anos, incentivado por Wall Street”, disse ele.

Entretanto, o bilionário também elogiou a virtude de manter o dinheiro disponível, ao apresentar o primeiro encontro presencial da Berkshire Hathaway desde 2019.

Buffett lamentou em sua carta anual aos acionistas em fevereiro a falta de oportunidades de investimento. Isso levou um acionista a perguntar o que mudou em março, quando a Berkshire comprou 14,6% da Occidental Petroleum Corp e concordou em pagar 11,6 bilhões de dólares pela seguradora Alleghany Corp.

Buffett disse que era simples: ele se interessou pela Occidental depois de ler um relatório de analista, e por Alleghany depois que seu presidente-executivo escreveu para ele. “Os mercados fazem coisas malucas e, ocasionalmente, a Berkshire tem a chance de fazer alguma coisa”, disse ele.

“Não é porque somos inteligentes… acho que somos sãos.” A participação em caixa da Berkshire caiu para cerca de 106 bilhões de dólares ante quase 147 bilhões de dólares no trimestre, mas Buffett disse que é importante manter dinheiro suficiente disponível. “Sempre teremos muito dinheiro”, disse. “É como o oxigênio, está lá o tempo todo, mas se desaparecer por alguns minutos, está tudo acabado” completou.

‘bitcoin não produz nada, é um investimento que só depende do próximo cara pagar mais do que o anterior’

Warren Buffett também comentou sobre investimentos em criptomoedas. O bilionário afirmou que se mantém contrário ao investimento em bitcoin e outras criptomoedas, já que, segundo ele, é um ativo que não produz nada, só depende que um investidor pague mais do que o anterior para subir de preço.

“Se as pessoas nesta sala fossem donas de todas as fazendas nos EUA e oferecessem 1% ao nosso grupo eu assinaria um cheque. Se vocês dissessem que são donos de 1% dos apartamentos, eu compraria também. Mas o bitcoin não. A única coisa que eu poderia fazer com um bitcoin seria vendê-lo de volta”, defendeu o fundador da Berkshire Hathaway.

O vice-presidente da Berkshire, Charlie Munger, foi além. Para ele, o presidente chinês Xi Jinping estava certo ao banir as criptomoedas do país. “Eu tento evitar coisas estúpidas, ruins ou que me fazem parecer mal, e o bitcoin faz as três coisas”, disparou.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas