Ibovespa fecha o pregão em queda com restrições da China no radar

Temores sobre um potencial lockdown em Pequim e cautela com a política monetária norte-americana pesaram o Ibovespa

O Ibovespa fechou o pregão desta segunda-feira (25) em queda. O principal índice da bolsa brasileira registrou recuo tímido, embora tenha reduzido grande parte das perdas à tarde com melhora em Wall Street.

Temores sobre um potencial lockdown em Pequim e cautela com a política monetária norte-americana serviram de contrapeso.

Vale e Petrobras foram as principais pressões negativas ao índice, com preocupações por medidas de isolamento social na China ajudando a derrubar os preços de minério de ferro e petróleo, enquanto Ambev e Equatorial subiram.

Em Wall Street as bolsas acabaram no azul. O que puxou as bolsas para o positivo foi a notícia de que o Twitter havia concordado em ser comprado pelo bilionário Elon Musk.

As ações da rede social deram um salto após a empresa anunciar que Musk a compraria em um acordo que transferiu o controle do serviço de microblog para a pessoa mais rica do mundo.

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em baixa de -2,86%, cotado a 111.077,51 pontos.

dólar comercial fechou em alta de +1,47%, cotado a R$ 4,875

Nos Estados Unidos, as bolsas fecharam em alta . O S&P 500 fechou subindo +0,58% (4.296,422), a Dow Jones registrou uma variação positiva de +0,71% (34.052,03), enquanto a Nasdaq encerrou o dia em alta de +1,29% (13.004,85).

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas