Covid na China, balanços nos EUA e o que move o mercado hoje

O surto de Covid-19 e os duros lockdowns freiam a atividade econômica de uma das maiores cidades da China, Xangai

Os mercados internacionais e os índices futuros dos Estados Unidos operam em queda na manhã desta segunda-feira (25), repercutindo das quedas da última sexta-feira.

Os investidores seguem com forte preocupação em relação ao aumento de juros mais agressivo que o Federal Reserve deve aplicar na próxima semana, além dos resultados de importantes empresas na temporada de resultados corporativos, como Coca-Cola e Whirlpool.

Além disso, o surto de Covid-19 e os duros lockdowns freiam a atividade econômica de uma das maiores cidades da China, Xangai.

O mercado acionário asiático encerrou em queda generalizada, com as ações na China e em Hong Kong em forte baixa devido às preocupações renovadas com o impacto da atual onda do coronavírus na segunda maior economia do mundo.

BRASIL

No cenário doméstico, o Ibovespa acompanhou o ritmo norte-americano e fechou em queda de quase 3%, com o dólar valorizando 4%. Os motivos que levam ao cenário mais pessimista são outros, com piora do ambiente eleitoral polarizado e riscos fiscais chamando cada vez mais a atenção do mercado.

Na agenda econômica local desta semana, teremos a divulgação do IPCA-15 e IGP-M, dados importantes a respeito da inflação.

RADAR CORPORATIVO

O Twitter e a processadora de pagamentos digitais Stripe testarão pagamentos em criptomoedas para usuários selecionados dos produtos de monetização de conteúdo da rede social, anunciaram as empresas na sexta-feira.

E a fabricante de cosméticos Natura&Co (NTCO3) divulgou na quinta-feira à noite expectativa de queda de até 13,3% na receita líquida do primeiro trimestre de 2022, impactada pelas contínuas pressões de custos.

(Com BM&C Now, inscreva-se no Telegram e receba as notícias que impactam o mercado)

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas