Ações chinesas têm pior semana em seis com ampliação de lockdowns em Xangai

Autoridades de Xangai dobraram sua ofensiva contra o vírus

 As ações chinesas registraram sua maior queda semanal em seis semanas nesta sexta-feira, enquanto o iuan ampliou as perdas, já que os rígidos lockdowns da Covid-19 no país paralisaram a atividade econômica em muitas cidades grandes, mesmo com as autoridades prometendo fornecer mais ajuda às empresas atingidas pelas medidas.

Autoridades de Xangai dobraram sua ofensiva contra o vírus, lançando outra rodada de testagem em toda a cidade e alertando os moradores de que o lockdown de três semanas só será suspenso em fases quando a transmissão for eliminada. Acredita-se que muitas outras cidades também estejam sob alguma forma de lockdown.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,44% no dia, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,23%.

Mas ambos os índices registraram suas maiores perdas semanais desde o início de março e permaneceram perto de mínimas em dois anos, tendo apagado quase todos os ganhos obtidos após a promessa do vice-primeiro-ministro, Liu He, em 16 de março, de apoiar a economia e os mercados financeiros.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,63%, a 27.105 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,21%, a 20.638 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,23%, a 3.086 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,44%, a 4.013 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,86%, a 2.704 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,60%, a 17.025 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,38%, a 3.361 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 1,57%, a 7.473 pontos.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas