PBoC da China mantém juros e vê as bolsas sem uma única direção

O BC chinês vê o país enfrentar a pior onde de Covid-19 desde o começo da pandemia e não mostra sinais de relaxar sua política monetária mais agressiva

Nesta quarta-feira (20), os índices chineses sofreram com perdas de mais de 1%, isso aconteceu após o banco central local deixar suas taxas de juros mais importantes inalteradas. No geral, as bolsas asiáticas fecharam sem direção única.

O desempenho ruim da bolsa chinesa veio após o PBoC, como é conhecido o Banco Central da China, decidir manter suas taxas de juros de referência para empréstimos de curto e longo prazos inalteradas, em 3,70% e 4,60%, respectivamente.

O BC chinês vê o país enfrentar a pior onde de Covid-19 desde o começo da pandemia e não mostra sinais de relaxar sua política monetária mais agressiva. Mas, pelo andar da carroagem, a segunda maior economia do mundo irá desacelerar neste segundo trimestre.

Outro motivo para o comportamento misto na região asiática veio também após um rali ontem das bolsas de Nova York, liderado por ações de tecnologia.

O principal índice acionário chinês, o Xangai Composto teve queda de 1,35%, a 3.151,05 pontos, enquanto o menor, Shenzhen Composto caiu 1,71%, a 1.985,65 pontos.

Em outras partes da Ásia, tivemos uma mistura de azul e vermelho, o Hang Seng caiu 0,40% em Hong Kong hoje, a 20.944,67 pontos, o sul-coreano Kospi ficou praticamente no zero em Seul, com perda de 0,01%, a 2.718,69 pontos. Com o setor automotivo em alta, o japonês Nikkei subiu 0,86% em Tóquio, a 27.217,85 pontos, e por fim, o Taiex avançou 0,91% em Taiwan, a 17.148,88 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou ligeiramente no azul nesta quarta, graças ao bom desempenho de ações dos setores de saúde e turismo. O S&P/ASX 200 teve avanço de 0,05% em Sydney, a 7.569,20 pontos.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas