Guedes e Campos Neto no FMI e outros assuntos que movem o mercado hoje

No cenário doméstico, as expectativas de maior taxa Selic também continuam

Os mercados internacionais operam em queda na manhã desta terça-feira (19), com agenda econômica sem grandes novidades. O destaque fica para o começo da reunião do FMI, nos Estados Unidos, que conta com a participação do ministro da economia Paulo Guedes e presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Na Ásia, o mercado acionário chinês fechou em baixa, apesar de as autoridades terem prometido suporte para a economia em meio ao surto de Covid-19, com os investidores observando se os duros controles da pandemia serão relaxados.

O índice Hang Seng recuou -2,28% em razão de queda de ações de empresas de tecnologia após autoridades chinesas banirem a transmissão em tempo real de videogames não autorizados.

Em Tóquio, o índice Nikkei teve alta de +0,69% com o iene renovando mínimas em 20 anos frente ao dólar. Na China continental, o Xangai ficou praticamente estável, com leve queda de -0,05% assim como o Shenzhen, que registrou queda de -0,11%. Em Seul, o Kospi avançou +0,95% e, em Taiwan, o Taiex registrou alta de +0,56%.

Nos EUA, as pressões inflacionárias persistem e o mercado já apontam expectativas de maior alta dos juros e redução do balanço patrimonial do Federal Reserve.

BRASIL

No cenário doméstico, as expectativas de maior taxa Selic também continuam. A projeção está acima de 13%, após considerações feitas por Roberto Campos Neto e a pressão inflacionária, sobretudo nas commodities.

Mesmo com a queda do dólar que continua, os investidores temem que este movimento será temporário, dado as perspectivas para um ano eleitoral, agravado pelo cenário fiscal.

RADAR CORPORATIVO

O Itaú Unibanco (ITUB4) informou que adquiriu 12,82% do capital social da Rede Agro Fidelidade e Intermediação, conhecida como Orbia.

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) acusou nesta segunda-feira um ex-executivo do IRB Brasil (IRBR3) de ‘plantar’ uma história falsa de que a Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, havia feito um investimento na empresa resseguradora.

De acordo com o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), o governo federal prevê um salário mínimo de R$ 1.294 para 2023.

E de acordo com o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), o governo federal prevê um salário mínimo de R$ 1.294 para 2023.

(Com BDM, Daily News BM&C e Reuters)

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas