Queiroga: “Nenhuma política pública de saúde será interrompida”

O ministro reforçou que apesar da mudança de status, a pandemia ainda não acabou e não vai acabar

Após anunciar o fim da estado de emergência sanitária da Covid-19 no Brasil, o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta segunda-feira (18) durante coletiva que a decisão não vai impactar as medidas de contenção da Covid implantadas no país.

“Leis perderiam o seu efeito com o fim da Espin e é necessário que tenha uma transição para que não tenhamos prejuízos para a assistência à saúde. Quero frisar que nenhuma política pública de saúde será interrompida”, afirmou.

O ministro reforçou também que apesar da mudança de status, a pandemia ainda não acabou e não vai acabar. “Nós precisamos conviver com essa doença e com esse vírus. Felizmente, ele tem perdido a força e a letalidade. Nós vislumbramos um período pós-pandêmico mais próximo de todo o mundo”, disse.

De acordo com Queiroga, o fundamento epidemiológico da decisão do fim do estado de emergência se justifica em razão da queda expressiva de casos e óbitos nos últimos 15 dias, a aderência à vacinação e a capacidade do Sistema Único de Saúde (SUS) de atender também doenças prevalentes que foram negligenciadas durante os períodos de picos da Covid-19.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas