Lula: “É plenamente possível o Lula e o Alckmin fazerem uma chapa para reconquistar direitos do povo trabalhador”

Lula discursou que pretende fazer uma reforma tributária, mas que leve em conta os salários, onde quem tem uma renda maior pague um imposto maior

Durante a Conferência da Classe Trabalhadora (Conclat 2022), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou sobre a composição da chapa presidencial com o ex-governador Geraldo Alckmin nas eleições 2022. “É plenamente possível o Lula e o Alckmin fazerem uma chapa para reconquistar os direitos do povo trabalhador desse país”, disse nesta quinta-feira (14).

No discurso, Lula também falou sobre a possibilidade de acabar com a miséria no país e geração de emprego. “Uma nação tem que ser soberana. Ela ser soberana não é apenas cuidar da suas fronteiras e ser respeitada por outros países. A maior fotografia de soberania de um país é a qualidade de vida do povo daquele país”, afirmou.

O político também falou sobre aumentar o salário mínimo e de que os salários precisam ser justos: “Foi graças às centrais sindicais que a gente passou a dar aumento de salário todo os anos. A gente aplicava a inflação e dava o aumento real de acordo com o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). A gente provou que aumentar o salário mínimo não aumentava inflação”.

“A palavra empreendedor é muito bonita. Todo mundo quer ser empreendedor e trabalhar por conta própria. Acontece que você não pode ser empreendedor se você não ganha o suficiente para cuidar da sua família, se você não tem direito a descansar aos sábados e domingos, se você não tem direito a tirar férias”, destacou.

Além disso, Lula discursou que pretende fazer uma reforma tributária, mas que leve em conta os salários, onde quem tem uma renda maior pague um imposto maior.

“Nós vamos ter que ter subsídios para garantir que o povo mais pobre tenha uma casa”, disse.

Em relação aos projetos futuros, o ex-presidenciável comentou sobre a vontade em construir uma parceria com o movimento sindical. “Nós queremos chamar o presidente da Fiesp, da Febraban. Não queremos deixar ninguém de fora e eu quero saber o compromisso de cada um com o empobrecimento desse país e com a melhoria de vida do nosso povo”.

Ainda, durante a Conferência, o candidato à presidência destacou: “Esse país vai voltar a ter um governo que conversa com todo mundo e que tenta encontrar soluções através das negociações”, finalizou.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas