Ibovespa fecha em queda no mesmo ritmo que as bolsas em NY

O setor financeiro foi a principal influência negativa para o Ibovespa, enquanto Cosan foi destaque positivo
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

O Ibovespa encerrou o terceiro pregão seguido no vermelho. Após uma manhã negativa, o principal índice da bolsa brasileira passou a cair na tarde desta terça-feira, acompanhando movimento em Wall Street, após alta firme na abertura em reação a dados de inflação dos Estados Unidos.

O setor financeiro foi a principal influência negativa no índice local, enquanto Cosan foi destaque positivo.

O Departamento de Trabalho norte-americano informou que a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos Estados Unidos subiu 1,2% em março na comparação com fevereiro, ante variação de 0,8% registrado no segundo mês de 2022.

Nos últimos 12 meses, a inflação no país chegou a 8,5%, o maior patamar desde maio de 1981.

Aqui no Brasil, o setor de serviços registrou queda de 0,2% em fevereiro, segundo informações da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta terça-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas).

Esta foi a segunda queda seguida e faz com que o setor acumule uma perda de 2,0% frente ao nível de dezembro de 2021.

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechou em queda de -0,69%, cotado a 116.146,86 pontos.

dólar comercial fechou em queda de -0,29%, cotado a R$ 4,6767

Nos Estados Unidos, as bolsas fecharam em queda. O S&P 500 fechou em desvalorização de -0,34% (4.397,35), o Nasdaq registrou queda de -0,26% (34.219,89), enquanto o Dow Jones encerrou o dia descendo em -0,30% (13.371,57).

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas