Bolsas da Ásia fecham sem uma única direção

A alta dos preços, guerra no leste europeu e indecisão do Fed deixa a Ásia com um tom cauteloso

Nesta terça-feira (12), as bolsas asiáticas caminharam sem direção, com os índices chineses se recuperando após o país mostrar sinais de alívio na política zero Covid, e outras se retraindo antes da publicação de novos dados de inflação dos EUA.

Na Ásia, o tom que predominou foi cauteloso. Isso aconteceu antes de os EUA divulgarem seus últimos números de inflação ao consumidor (CPI), no meio da manhã. A persistência dos preços altos, que tem como culpado a guerra entre Rússia e Ucrânia, tem levado o Federal Reserve (mais conhecido como FED), a sinalizar que pretende acelerar a retirada de estímulos monetários nos próximos meses.

Nos números, a China continental se recuperou da queda da segunda-feira, o índice Xangai Composto subiu 1,46%, a 3.213,33 pontos, e o Shenzhen Composto avançou 1,81%, a 2.047,88 pontos, revertendo também sua grande perda.

Em Hong Kong, o Hang Seng também ficou no azul, com alta de 0,52%, a 21.319,13 pontos.

Se na China os índices ficaram em alta, no Japão, os números caíram contrariando aos números da segunda-feira. O índice japonês Nikkei caiu 1,81% em Tóquio, a 26.334,98 pontos, o sul-coreano Kospi recuou 0,98% em Seul, a 2.666,76 pontos, seu menor patamar em um mês, e o Taiex registrou queda de 0,34% em Taiwan, a 16.990,91 pontos.

Ainda em baixa, na Oceania, a bolsa australiana terminou o pregão em baixa, com as perdas lideradas por ações dos setores de saúde e tecnologia. O S&P/ASX 200 caiu 0,42% em Sydney, a 7.454,00 pontos.

Compartilhe:

Matérias relacionadas