Bitcoin (BTC) em queda: O que esperar das criptomoedas? Analista comenta

Gustavo disse que o comportamento do bitcoin fez os investidores verem nas duas últimas semanas que perdeu uma janela de oportunidade nesse ano

O bitcoin apresentou uma forte queda na noite da última segunda-feira (11) diante de movimentação de alta de taxa de juros nos Estados Unidos e de quedas nas ações tech. Para o CEO da Trade Insight, Gustavo Almeida, o bitcoin (BTC) pode chegar perto da casa dos US$ 30 mil. Neste momento, o BTC está em US$ 39.775,0.

“Cair de US$ 40 mil para US$ 32 mil mostra que de fato ainda existe muita volatilidade dentro dos criptoativos e, querendo ou não, a gente precisa ter uma exposição reduzida. Para ter um grande impacto na carteira precisa de uma oscilação muito grande”, disse durante participação na programação da BM&C News.

Gustavo acrescentou que o comportamento do bitcoin fez os investidores verem nas duas últimas semanas que perdeu uma janela de oportunidade nesse ano. Ainda, o especialista completou que a moeda digital está encaminhando para um zona bem complicada.


Ainda na avaliação, o analista ressaltou que a grande aposta dos especialistas de criptoativos, seria principalmente o bitcoin, uma vez que tornaria um refugio à inflação pela percepção de escassez.

“Conforme for evoluindo e, se por acaso for cada vez mais sendo utilizado pelo mercado, ele vai ganhando mais força e vai diminuindo a volatilidade. Para mim, é isso que tende a acontecer”, disse.

Gustavo acrescentou também que, por ora, a criptomoeda tem apresentado maior força ao longo dos anos, mas a volatilidade continua ainda muito alta, o que não serve como uma moeda estável para poder guardar o recurso.

Além disso, o especialista pontuou que o que mais chama sua atenção é que o criptoativo já começa a sofrer as mesmas problemáticas dos ativos quando se olha para a questão de inflação.

“Aquilo de que se esperava e se tinha como narrativa de que seria o contrário, está começando a se entender que tem as mesmas propriedades que os outros ativos de risco. Em momento de incerteza o mercado sairia fora”, avaliou.

Confira a entrevista na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas