MGLU3: “Compras mais viáveis no momento acontecem na base da lateralização”, diz grafista

Na explicação, o analista destacou que as ações de Magalu alinharam todas as médias para uma clara tendência de baixa

Em entrevista à BM&C News, o analista Beto Assad avaliou o cenário para as ações de Magazine Luiza (MGLU3). “As compras mais viáveis no momento acontecem se o ativo testar a base da lateralização e se ela, mais uma vez, for respeitada; ou se a faixa de R$ 7,40 for rompida”, afirmou.

Assad pontuou que, caso a faixa mencionada acima seja de fato rompida, o melhor seria esperar o rompimento se consolidar para então comprar uma eventual correção.

“O momento atual do ativo mostra uma lateralização tendo a região do R$ 7,40 como resistência e R$ 5,60 como suporte”, avaliou.

Na explicação, o analista destacou que as ações da Magazine Luiza alinharam todas as médias para uma clara tendência de baixa, após uma longa queda que se iniciou em julho do ano passado.

“A queda parece ter parado justamente na região de R$ 6,25, faixa de preço que marcou a mínima do ativo no auge da pandemia em 2020”, disse.

Além disso, o analista pontuou que houve uma primeira tentativa de rompimento para baixo dessa região em meado de março, mas que deixou um candle com uma longa sobra inferior. “A última semana mostrou uma barra de forte força vendedora, o que sugere ao menos o teste da região de R$ 5,60 novamente. Caso essa faixa seja perdida, abre-se a possibilidade de teste da mínima do ano novamente, na faixa de R$ 4,65”, pontuou.

Por fim, Assad destacou que o primeiro alvo de alta por Fibonacci, caso o ativo retome um movimento positivo, seria próximo aos R$ 12,26. No entanto, caso a ação venha a perder a mínima do ano, abre-se espaço para queda até a faixa de R$ 3,50.

mglu3

Quer ter mais informações do mercado financeiro? Acompanhe nossa programação ao vivo:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas