Fundos de ações e multimercados perdem patrimônio no primeiro trimestre

Os fundos multimercados tiveram resgates líquidos (diferença entre aplicações e resgates)  de R$ 41 bilhões no primeiro trimestre deste ano, enquanto nos fundos de ações os resgates líquidos totalizaram R$ 31,9 bilhões.

Apesar disso, os fundos de investimento fecharam o primeiro trimestre de 2022 com captação líquida positiva de R$ 46,1 bilhões, de acordo com dados da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Os fundos de renda fixa registraram a maior captação líquida do trimestre, totalizando R$ 109,2 bilhões. O resultado é o maior para o período dos últimos cinco anos.

“A alta na captação dos fundos de renda fixa e as saídas das classes de ações de multimercados são movimentos esperados pelo mercado com a Selic em 11,75% e vistos desde a metade do ano passado. Os investidores reavaliaram suas alocações, mas essa situação não é perene”, afirma Pedro Rudge, diretor da Anbima.

Ativos digitais

Os fundos que aplicam diretamente em ativos digitais registraram exposição em ativos digitais de R$ 3,3 bilhões em fevereiro, totalizando 30 produtos neste grupo.

Segundo Pedro, dois fatores contribuíram por essa procura dos investidores: a busca por diversificação, com a Selic a um dígito, a maior oferta de produtos nas plataformas de investimentos, o que aumentou o acesso a esses papéis.

Número de contas

As contas de fundos cresceram 17,4% nos três primeiros meses do ano, passando de 26,8 milhões para 31,5 milhões. O resultado foi influenciado, principalmente, pelos fundos imobiliários, com aumento de mais de 2 milhões de contas.

Compartilhe:

Matérias relacionadas