IPCA avança 1,62% em março, maior alta desde 1994

Os principais impactos vieram dos transportes e de alimentação e bebidas

A inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) acelerou para 1,62% em março, após ficar em 1,01% em fevereiro, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta sexta-feira (8). Esse foi o maior resultado para o mês de março desde 1994 (42,75%), antes da implantação do Real.

O indicador acumula alta de 3,20%  no ano e de 11,30% nos últimos 12 meses.

De acordo com o IBGE, os principais impactos vieram dos transportes (3,02%) e de alimentação e bebidas (2,42%). Os dois grupos, juntos, contribuíram com cerca de 72% do índice do mês.

No caso dos transportes, a alta foi puxada, principalmente, pelo aumento nos preços dos combustíveis (6,70%), com destaque para gasolina (6,95%), que teve o maior impacto individual (0,44 p.p.) no indicador geral.

“Tivemos um reajuste de 18,77% no preço médio da gasolina vendida pela Petrobras para as distribuidoras, no dia 11 de março. Houve também altas nos preços do gás veicular (5,29%), do etanol (3,02%) e do óleo diesel (13,65%). Além dos combustíveis, outros componentes ajudam a explicar a alta nesse grupo, como o transporte por aplicativo (7,98%) e o conserto de automóvel (1,47%)”, afirma o gerente do IPCA, Pedro Kislanov.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas