Guedes diz que Petrobras não pode virar ferramenta de politização e sugere desestatização

Guedes afirmou que o programa do governo para eventual novo mandato do presidente Jair Bolsonaro prevê aprofundar tudo que foi proposto na atual gestão

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira que a Petrobras (PETR4) não pode virar uma ferramenta de politização e sugeriu que empresas desse tipo valem mais após mudanças de marcos regulatórios e desestatização.

“Nós já sabemos esse caminho, nós não queremos que a Petrobras vire a PDVSA (da Venezuela) um dia, vire uma ferramenta de politização, como virou no passado”, disse.

“A coisa mais importante quando você muda um marco regulatório e desestatiza uma empresa dessas é que vai entrar dinheiro agora em todas as verticais, estamos vendo nessa mobilização da capitalização da Eletrobras”, disse.

Em evento do Bradesco BBI, Guedes afirmou que o programa do governo para eventual novo mandato do presidente Jair Bolsonaro prevê aprofundar tudo que foi proposto na atual gestão.

“Se antes tínhamos um certo número de empresas, o presidente acabou de dizer que está disposto a avançar bastante. Quem sabe não vem a Petrobras ali na frente? Quem sabe a gente não leva a Petrobras para o Novo Mercado?”, disse.

Para ele, se a companhia for para o Novo Mercado da bolsa de valores brasileira, seu valor será elevado.

O ministro também voltou a defender a criação de um fundo que reuniria recursos da venda de estatais e direcionaria parte da verba para programas sociais.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas