Fim da guerra na Ucrânia pode fazer dólar subir para R$ 5, avalia economista

Lucena comentou que, diante de cenário de alta das commodities e ciclo de aumento de taxa de juros, o dólar deve continuar caindo

O dólar está em uma trajetória de queda em relação ao real. Na última terça-feira (5), a moeda americana subiu 1,11% e fechou a R$ 4,659 na venda, quebrando uma sequência de três quedas. Para o economista e PhD em relações internacionais, Igor Lucena, a queda é temporária.

“Quando a gente começar a entrar no final do ano e começar a cair os preços das commodities por algum motivo, como por exemplo o fim do conflito na Ucrânia, eu acho que o dólar tende a voltar a subir para patamares próximos de R$ 5”, avaliou durante participação na programação da BM&C News.

Lucena comentou que, diante de cenário de alta das commodities e ciclo de aumento de taxa de juros, o dólar deve continuar caindo.

Além disso, o economista explicou o motivo pelo qual o dólar está caindo tanto: “Sanções e Ucrânia estão ‘ajudando a derrubar o dólar’ e melhorando os investidores no mercado acionário brasileiro”, avaliou.

Ainda na avaliação, o economista mencionou que o Banco Central brasileiro aumentou de maneira rápida a taxa de juros para conter a inflação. Para Lucena, isso significa que o spread em vários títulos públicos e em alguns fundos de investimentos estão muito atrativo para o investidor estrangeiro do ponto de vista da taxa básica Selic, títulos indexados e a taxa de inflação.

“Comparando com outras nações, esse ponto torna-se atrativo para a renda fixa no Brasil”, disse.

Nesse contexto, o especialista disse que a entrada de dólar está sendo muito positiva para o país e que vai impactar positivamente a inflação e o crescimento.

“Agora, se isso é uma tendência que vai continuar até o final do ano, é muito difícil a gente dizer”, destacou e explicou que o cenário eleitoral pode impactar.

A projeção de Lucena é que deve ter uma tendência de queda, até o meio do ano, mas com subidas gradativas.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas