Ações da China fecham em baixa por queda da atividade de serviços em meio a salto da Covid

"Os investidores globais devem prestar mais atenção aos lockdowns da China já que o mercado pode estar subestimando o impacto econômico", disseram analistas do Nomura em nota

As ações da China recuaram nesta quinta-feira depois do final de semana prolongada, pressionadas pela onda mais grave de Covid-19 desde o início da pandemia e por pesquisa que mostrou contração da atividade de serviços em março no ritmo mais forte em dois anos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,29%, enquanto o índice de Xangai teve ganho de 0,02%.

O índice Hang Seng de Hong Kong perdeu 1,87%, enquanto o China Enterprises Index recuou 2,1%.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços do Caixin, que foca mais em pequenas empresas em regiões costeiras, foi a 42,0 em março de 50,2 em fevereiro, uma vez que o aumento nos casos de coronavírus restringiu a mobilidade e pesou sobre a demanda.

“Os investidores globais devem prestar mais atenção aos lockdowns da China já que o mercado pode estar subestimando o impacto econômico”, disseram analistas do Nomura em nota.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,58%, a 27.350 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,87%, a 22.080 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,02%, a 3.283 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,29%, a 4.263 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,88%, a 2.735 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,58%, a 17.522 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,64%, a 3.422 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,50%, a 7.490 pontos.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas