“Não compre nenhum tipo de ativo que negocie commodities”, afirma gestor

Salaverry explicou que aconselha ficar de fora em razão da imprevisibilidade dos últimos acontecimentos, que pode mudar no curtíssimo prazo

O conflito entre Rússia e Ucrânia tem trazido impactos nos preços das commodities, que já vinha sendo elevado em razão da pandemia. O gestor da Quantitas, Wagner Salaverry, avaliou que não é o momento de fazer entradas no setor.

“O que a gente faz é não comprar nenhum tipo de ativo que negocie commodities, porque os preços, tanto das empresas quanto dos produtos, estão bem altos”, disse durante transmissão ao vivo da BM&C News.

Salaverry pontuou que os preços estão acima do patamar histórico que deveriam negociar em situações típica de oferta e demanda e não se sabe, ao certo, quando o preço das commodities vão demorar para voltar ao nível anterior, e por isso, é bem arriscado se posicionar.

Além disso, o gestor da Quantitas explicou que, em seu ponto de vista, aconselha ficar de fora em razão da imprevisibilidade dos últimos acontecimentos, que pode mudar no curtíssimo prazo.

“Você pode ser pego por uma queda muito grande de preço e todos os investidores que estão aproveitando esse curto prazo de preços altos quererem sair ao mesmo tempo. Com isso, você traz uma volatilidade para sua estratégia de gestão, que é de médio a longo prazo”, analisou.

Durante a conversa, o gestor acrescentou também que “historicamente, a gente compra commodities quando os preços estão baixos, preferencialmente, abaixo da médio do ciclo histórico para pode se beneficiar de uma eventual alta”.

Para Salaverry o que deve ser feito, além de ficar fora de commodities neste momento, os investidores devem olhar dentro desse cenário de curtíssimo prazo se tem alguma empresa que goste, cujo preço por conta da situação do conflito caiu muito e gerou uma oportunidade.

“A segunda coisa que a gente tenta fazer é pegar o outro lado: empresas que tiveram algum tipo de problema, de perda, com a pandemia”, destacou.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas