VIVA3: “Fizeram algo que era inimaginável”, avalia investidor profissional sobre entrada para o digital

O especialista acrescentou que a joalheria conseguiu também atrair um público pertencente a uma camada mais baixa

A Vivara (VIVA3) divulgou os resultados do quarto trimestre de 2021 e apresentou alta de 36,4% no lucro líquido, atingindo, assim, a margem de R$ 127,129 milhões, contra R$ 93,182 milhões do mesmo trimestre de 2020. Durante entrevista à BM&C News, o investidor profissional, Anderson Kawamoto, avaliou o cenário da companhia. “Assim como eles fizeram algo que era inimaginável, que era trazer o mundo das joias para o digital e se estabelecer no digital, conseguiram ganhar share e crescer”, disse.

O especialista acrescentou que a joalheria conseguiu também atrair um público pertencente a uma camada mais baixa.

“A Vivara consegue através da Life expandir o seu público potencial de uma maneira muito agressiva. A Vivara life através do crédito consegue também viabilizar o consumo”, explicou.

Na avaliação de Kawamoto, o dado mais importante é o ganho de market share, porque o custo da matéria-prima aumentou e a Vivara, que tem um poder de barganha enorme de compra, consegue derreter coleções antigas como meio de pagamento, de aquisição e de outros produtos, e transformar isso em novas coleções. Além disso, o investidor profissional pontuou que o pequeno e médio não conseguem fazer isso.

“Então a Vivara consegue trabalhar com a margem igual ao desses players só que com o preço de venda muito mais atrativo para o consumidor”, disse.

Neste sentido, Kawamoto ainda destacou: “Esse é o grande segredo para quem quer surfar no crescimento do setor, principalmente neste primeiro semestre, que é exposição ao público de alta renda”.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas