“Estou bem preocupado com a inflação nos Estados Unidos”, diz analista

Gustavo pontuou que se a inflação americana chegasse em 14% ao ano, e tendo de elevar juros acima dos patamares esperados, iria causar consequência para o mundo todo

O analista Gustavo Almeida avaliou, durante participação na programação da BM&C News, nesta segunda-feira (28), os desdobramentos que a crise entre Rússia e Ucrânia pode gerar para a economia global.

“Eu estou bem preocupado com a inflação nos Estados Unidos. Se não tivermos uma resposta muito rápida em relação à inflação isso vai escalar para um patamar que com certeza não está no radar de nenhum economista”, disse.

O analista pontuou que se a inflação americana chegasse em 14% ao ano e tendo de elevar juros acima dos patamares esperados iria causar consequência para o mundo todo.

“Quem vai se beneficiar de tudo isso vai ser a China. Quando eu olho para o comportamento dos mercados, será bem importante os próximos dias para a gente conseguir entender o que se pode esperar dos mercados como um todo”, avaliou.

Neste sentido, Gustavo ainda ressaltou que o presidente ucaniano, Volodymyr Zelensky, está disposto a sentar na mesa de negociações juntamente do líder da Rússa, Vladimir Putin, mas que o Kremlin não tem intensão de negociação no curto prazo.

“Então, a gente percebe que vai ter ainda um período onde isso vai se arrastar cada vez mais e o mundo vai ficando cada vez mais com medo das derivadas desse conflito”, disse.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas