Bolsas da Ásia fecham sem direção única, após novas sanções contra a Rússia

Além de monitorar desdobramentos da guerra russo-ucraniana, investidores na Ásia estão atentos a comentários de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que parece disposto a apertar sua política monetária em ritmo mais veloz

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta sexta-feira, 25, após EUA e Reino Unido anunciarem novas sanções contra a Rússia, pela invasão da Ucrânia.

O índice Hang Seng caiu 2,47% em Hong Kong hoje, a 21.404,88 pontos, pressionado por ações de tecnologia. Na China continental, o Xangai Composto recuou 1,17%, a 3.212,24 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve perda de 1,43%, a 2.113,73 pontos, influenciados por papéis ligados à área de saúde.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei subiu 0,14% em Tóquio, a 28.149,84 pontos, e o sul-coreano Kospi ficou praticamente estável em Seul, com ligeira alta de 0,01%, a 2.729,98 pontos, enquanto o Taiex cedeu 0,12% em Taiwan, a 17.676,95 pontos.

Na quinta-feira, EUA e Reino Unido anunciaram novas sanções contra a Rússia, que mantém a ofensiva em diferentes partes do território ucraniano. Já o presidente americano, Joe Biden, propôs expulsar a Rússia do G-20 e prometeu responder à altura caso Moscou decida usar armas químicas na Ucrânia, depois de participar de três cúpulas em Bruxelas, a capital belga.

Além de monitorar desdobramentos da guerra russo-ucraniana, investidores na Ásia estão atentos a comentários de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que parece disposto a apertar sua política monetária em ritmo mais veloz.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul, ainda beneficiada pelo bom desempenho de ações relacionadas a commodities. O S&P/ASX 200 avançou 0,26% em Sydney, a 7.406,20 pontos. 

Compartilhe:

Matérias relacionadas