Ibovespa avança nesta segunda; mercado acompanha guerra

O principal índice da B3 tem alta de 0,43% aos 115.809 pontos

O Ibovespa registra alta nesta segunda-feira (21), mesmo com pouco avanço nas negociações de cessar-fogo entre Rússia e Ucrânia.

Às 14h55, o principal índice da B3 tinha alta de 0,43% aos 115.809 pontos.

Em Nova York, os índices registram sinais negativos. O S&P 500 tem leve queda de 0,54%, o Nasdaq opera em baixa de 1,32%, enquanto o Dow Jones cai 0,95%.

Entre as notícias do dia, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse nesta segunda-feira que é necessário haver mais progresso nas negociações de paz da Rússia com a Ucrânia antes que um encontro entre os presidentes russo, Vladimir Putin, e ucraniano, Volodymyr Zelensky, possa ocorrer.

 “Para se falar sobre uma reunião dos dois presidentes, primeiro é necessário fazer a lição de casa, é necessário ter conversas e chegar a um acordo sobre os resultados”, afirmou Peskov.

Peskov acrescentou que “por enquanto, nenhum movimento significativo foi atingido” nas conversas e que não há quaisquer acordos com os quais eles (os presidentes) poderiam se comprometer” numa eventual reunião.

Rússia reabre Bolsa

O Banco Central da Rússia decidiu retomar nesta segunda-feira as negociações de títulos de empréstimos federais na Bolsa de Moscou. A decisão marca a reabertura parcial da bolsa de valores local depois da suspensão determinada no dia 24 de fevereiro, quando a Rússia iniciou a invasão da Ucrânia, que nesta semana completa um mês.

As negociações passam a ocorrer em dois períodos: pela manhã no horário local, entre 10 horas e 11 horas (das 4 horas às 5 horas no horário de Brasília), em “modo de leilão separado”, e à tarde em Moscou, das 13 horas às 17 horas (das 7 horas às 11 horas de Brasília), “no formato habitual”, segundo informou o BC russo em comunicado.

Focus aumenta projeção de inflação

a mediana para o IPCA, índice de inflação oficial, de 2022 completou dez semanas em disparada no Relatório de Mercado Focus desta segunda-feira, 21, e reforça um novo ano de descumprimento da meta. Para 2023, foco principal de política monetária, os avanços também continuam, se distanciando do alvo central (3,25%).

Com o impacto da disparada de preços de commodities provocada pela guerra na Ucrânia, a projeção para o IPCA de 2022 passou de 6,45% para 6,59%. A estimativa estava em 5,56% um mês antes e em 5,03% há dez semanas.

Com Estadão Conteúdo

Compartilhe:

Matérias relacionadas