Vale (VALE3) investe R$ 6 bi para filtrar rejeitos

O vice-presidente executivo de ferrosos da Vale diz que as plantas permitem elevar a qualidade do minério neste ano e aumentar a capacidade de produção a partir de 2023

A mineradora Vale (VALE3) vai colocar em operação no segundo trimestre sua quarta planta de filtragem de rejeitos de mineração, desta vez na mina de Brucutu, em Minas Gerais. A companhia já investiu US$ 1,2 bilhão (cerca de R$ 6 bilhões) nessas plantas com o objetivo de diminuir a dependência de barragens e melhorar a qualidade do minério de ferro. Até 2025, vai investir mais US$ 1,3 bilhão (cerca de R$ 6,5 bilhões) na tecnologia.

O vice-presidente executivo de ferrosos da Vale, Marcello Spinelli, diz que as plantas permitem elevar a qualidade do minério neste ano e aumentar a capacidade de produção a partir de 2023.

Além de Brucutu, uma unidade foi inaugurada em Vargem Grande, em março de 2021, e duas no Complexo de Itabira, em janeiro deste ano. “As plantas colocam a gente na rota de recuperar a capacidade de 400 milhões de toneladas de produção”, diz Spinelli.

Com a filtragem, o material impuro pode ser empilhado em estado sólido, reduzindo a dependência de barragens – estratégia da empresa desde a tragédia de Brumadinho, em janeiro de 2019.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas