Resultado da Taurus (TASA4) sinaliza ‘novos tempos’ e companhia aposta em branding para alavancar no setor

Os profissionais destacaram que suas visões perante à empresa são mais arrojadas e otimistas do que o consenso do mercado
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Na última terça-feira (15), a Taurus (TASA4) registrou lucro líquido de R$ 206,9 milhões no quarto trimestre de 2021, representando uma queda de 26% na comparação com o mesmo período de 2020. Em 2021, a companhia reportou lucro líquido de R$ 635,1 milhões, indicando, assim, um crescimento de 140,9% em relação ao ano anterior. 

Em relação às expectativas para o próximo trimestre, o analista Rafael Freitas e o estrategista-chefe, Marco Saravalle, ambos da SaraInvest, ressaltaram que trata-se de um cenário levemente prejudicado pela sazonalidade da indústria, mas que enxergam que será positivo.

“Em linha com o último trimestre, temos uma retomada gradativa do escalão de funcionários e produtividade, vista em outrora, quando a empresa tracionava sem ociosidade. Sendo assim, esperamos um resultado levemente mais brando em topline, posta a devida perspectiva QoQ”, disseram.

Vale destacar que o termo “QoQ” trata-se de uma variação de um dado em relação ao mesmo período do trimestre anterior.

Ainda, os profissionais apontaram que a Taurus passará por um remolde de branding da marca, de modo a transformar-se e consolidar-se em todas as frentes.

“A ideia de entrada em novos mercados, de forma que não se canibalize as linhas de atuação e vendas atuais da companhia, tendem a expor a marca em novas vertentes, tal como a de armas longas, a qual, segundo os mesmos, possuem apenas 4% de market share no mercado americano”, avaliaram.

Em análise ao último resultado divulgado, Rafael e Saravalle apontaram que a defasagem no nível de produção é considerada normal, uma vez que houve férias coletivas já programadas por parte dos executivos e dos trabalhadores nas duas últimas semanas do ano.

Os profissionais destacaram também que suas visões perante à empresa são mais arrojadas e otimistas do que o consenso do mercado.

“O resultado divulgado nos trouxe ainda mais conforto com o carrego da posição, principalmente, quando olhamos a ordem de dividendos aprovados nessa auditoria trimestral, que é algo próximo a 7% de yield, referentes a apenas um trimestre de resultados gerados”, avaliaram Rafael e Saravalle.

Durante participação na BM&C News, Salesio Nuhs, CEO global da Taurus, disse que o dividendo não será pequeno e estima o pagamento de R$1,65 por ação. Rafael ressaltou que a data de corte para o pagamento dos dividendos será fixada em conjunto a AGO de aprovação, prevista para o dia 19 de abril. Após aprovada, o pagamento ficaria definido para o dia 29 do mesmo mês.

Além disso, os especialistas também apontaram que, apesar do que foi mencionado anteriormente, “nota-se uma não recorrência nessa grandeza de payout pela companhia. Algo que também julgamos em linha com as expectativas, dado um pagamento sobressalente nessa ocasião, como aceno do management ao mercado quanto ao término do turnaround operacional que a empresa se expôs nos últimos anos”.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Matérias relacionadas