Bolsas da Ásia fecham em forte alta, seguindo NY após decisão do Fed

Ontem, o Fed elevou seus juros básicos em 0,25 ponto porcentual, menos do que a alta de 0,50 ponto defendida por alguns dirigentes do BC americano

As bolsas asiáticas fecharam em forte alta pelo segundo dia consecutivo nesta quinta-feira, 17, acompanhando Wall Street, que na quarta-feira vivenciou um rali após o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) anunciar seu primeiro aumento de juros desde 2018, e ainda sustentadas por uma promessa da China de dar apoio à sua economia.

O Hang Seng liderou os ganhos na Ásia, com um salto de 7,04% em Hong Kong, a 21.501,23 pontos. Na China continental, o Xangai Composto subiu 1,40%, a 3.215,04 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto se valorizou 2,24%, a 2.133,01 pontos.

Em outras partes da Ásia, o índice japonês Nikkei teve vigorosa alta de 3,46% em Tóquio hoje, a 26.652,89 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 1,33% em Seul, a 2.694,11 pontos, e o Taiex subiu 3% em Taiwan, a 17.448,22 pontos.

Ontem, o Fed elevou seus juros básicos em 0,25 ponto porcentual, menos do que a alta de 0,50 ponto defendida por alguns dirigentes do BC americano. Por outro lado, o Fed sinalizou mais seis aumentos de juros ao longo do ano.

Passada a incerteza do Fed, as bolsas de Nova York encerraram os negócios desta quarta com robustas altas, variando de 1,5% a 3,8%.

O bom humor na Ásia segue alimentado também por uma promessa feita ontem pelo governo chinês de adotar medidas para favorecer os mercados de capitais e o setor imobiliário do país. Além disso, há relatos de progressos nas negociações de paz entre Rússia e Ucrânia.

Na Oceania, a bolsa australiana terminou o pregão desta quinta no maior nível em um mês. O S&P/ASX 200 avançou 1,05% em Sydney, a 7.250,80 pontos.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas