Destaques da Bolsa: CVC (CVCB3) dispara 17% após balanço do 4T21

Confira os destaques desta quarta-feira (16)

O Ibovespa fechou em alta, nesta quarta-feira (16), na mesma direção das bolsas dos Estados Unidos, com os investidores repercutindo as decisões sobre as taxas de juros do Brasil e dos EUA. 

O principal índice da bolsa brasileira fechou em alta de 1,98%, a 111.112 pontos. 

O principal destaque positivo foi a ação da CVC (CVCB3), que disparou 17,15%, após a companhia divulgar o balanço do quarto trimestre de 2021. 

Já Yduqs (YDUQ3), que também publicou o resultado trimestral, registrou queda de 10,48%. 

As petrolíferas encerraram em baixa: PetroRio (PRIO3) caiu 2,32%, 3R Petroleum (RRRP3) -2,55% e o papel da Petrobras PN (PETR4) recuou 0,87%.

Com o minério de ferro, Vale (VALE3) subiu 2,43%, CSN (CSNA3) +2,36%, Gerdau (GGBR4) +2,18% e Usiminas (USIM5) +2,17%.

MRV (MRVE3) teve ganhos de 2,81% antes da divulgação do balanço do 4T21, esperado para após o fechamento do mercado. 

Confira os destaques desta quarta-feira:

CVC (CVCB3)

A CVC quase dobrou as vendas no quarto trimestre, uma vez que a flexibilização das medidas de isolamento social tomadas durante a pandemia ampliaram a busca por viagens, mas isso não livrou a empresa de fechar o período no vermelho.

A companhia de viagens anunciou nesta terça-feira que teve prejuízo líquido de 145,8 milhões de reais entre outubro e dezembro. Um ano antes, a CVC tivera lucro de 392,5 milhões de reais, favorecida por efeitos extraordinários.

A receita líquida da companhia cresceu 92,9% no trimestre sobre mesma etapa de 2020, para 314 milhões de reais, em virtude principalmente do maior ticket médio em viagens domésticas.

Na outra ponta, as despesas com vendas aumentaram em 46,3% ano a ano. E as despesas gerais e administrativas subiram 8,6%. Além disso, as despesas financeiras tiveram redução de 53%, com impacto positivo de variação cambial.

O resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado foi de 8,9 milhões de reais, ante resultado negativo de 112,6 milhões de reais um ano antes.

Taurus (TASA4)

A Taurus Armas registrou lucro líquido de R$ 206,9 milhões no quarto trimestre de 2021, queda de 26% quando comparado com o mesmo período de 2020. 

Em 2021, a companhia reportou lucro líquido de R$ 635,1 milhões, crescimento de 140,9% em relação ao ano anterior. 

Além disso, a companhia afirmou que será proposto em assembleia geral o pagamento de R$ 194,3 milhões em dividendos, sendo o valor por ação de R$ 1,65.

A receita líquida da Taurus foi de R$ 820,3 milhões no 4T21. O número representa aumento de 38,9% ante o mesmo trimestre de um ano antes. 

Já o Ebitda ajustado somou R$ 308,2 milhões, avanço de 90% em comparação com um ano antes.

Yduqs (YDUQ3)

O grupo de educação privada Yduqs (YDUQ3) praticamente zerou o lucro no quarto trimestre, uma vez que o aumento da receita e o controle de custos foram ofuscados pela piora das contas financeiras, em meio à elevação dos juros.

A companhia anunciou nesta terça-feira que teve lucro líquido ajustado de 2,2 milhões de reais de outubro a dezembro, queda de 97,6% sobre um ano antes. O resultado também foi bem mais fraco do que a previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 99,3 milhões de reais.

A receita líquida da companhia ainda cresceu 9,1% no período, em comparação anual, para 1,05 bilhão de reais, em ritmo superior ao custo dos serviços prestados, que evoluiu 4,8%.

O resultado operacional da Yduqs medido pelo Ebitda evoluiu 77,1% ante mesma etapa de 2020, para 202,3 milhões de reais. Ainda assim, ficou menor do que a previsão média, de 332,2 milhões de reais, segundo a Refinitiv. A margem Ebitda deu um salto de 7,4 pontos percentuais, a 19,3%.

SmartFit (SMFT3)

A SmartFit registrou prejuízo líquido de R$ 110,2 milhões no quarto trimestre de 2021, valor 24% maior que o prejuízo de R$ 88,7 um ano antes, informou a empresa, nesta terça-feira (15). 

No ano, a companhia reportou prejuízo de R$ 557,5 milhões. O número representa alta de 14% quando comparado com prejuízo de R$ 487,4 registrado nos doze meses de 2020. 

A receita líquida somou R$ 546,4 milhões no quarto trimestre, crescimento de 42% ante o mesmo período do ano anterior.

Já o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 36 milhões, aumento de 364% em comparação com o 4T20. 

Com Reuters

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Matérias relacionadas