Baixa do petróleo não deve reajustar preço da gasolina, avalia analista

O especialista avaliou que é positivo o petróleo voltar para essa região que está hoje

A cotação do petróleo baixou e está perto dos US$ 100, o que não se via desde 2014. Esse cenário pode fazer com que haja reajuste também nas bombas de combustível, mas não é o que acredita o analista Gustavo Almeida.

“Tomara que venha uma resposta de ajustar negativamente o preço da bomba, mas acho mais difícil porque se falava que a Petrobras não vinha reajustando preço há um bom tempo”, avaliou durante participação na programação da BM&C News.

Gustavo explicou que, a sensação de país ser uma espécie de porto seguro, em função do impacto do preço das commodities na cotação das empresas brasileiras, e que tem o maior peso no Índice Bovespa, agora acontece um movimento contrário.

O analista pontuou que voltar a cotação para os US$ 90 está no preço que já se estava trabalhando desde o início de março. Por isso, Gustavo acredita que devolveu todo o movimento de euforia dos mercados, o que para ele foi exagero, dentro de um contexto inflacionário.

Diante desse cenário, o especialista avaliou que é positivo o petróleo voltar para essa região que está hoje.

“Acho que vamos ver uma correção, que já estávamos vendo nos mercados lá fora, também acontecer aqui no nosso mercado local”, ressaltou.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas