Negociações Rússia-Ucrânia, Covid-19 na China e o que move o mercado

No cenário político brasileiro, a alta dos combustíveis também virou uma importante pauta no governo

Os mercados mundiais operam em alta na manhã desta segunda-feira (14), repercutindo os avanços diplomáticos entre Rússia e Ucrânia, com ambos os lados dizendo que dados decisivos estão sendo feitos para acabar com o conflito. Hoje, novas negociações acontecem em uma tentativa de um cessar-fogo.

No entanto, as Bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa, com exceção de Tóquio. Por lá, além dos impactos da guerra no leste europeu, também há a expectativa dos efeitos de um novo surto de infecções por Covid-19 na China, que levou ao confinamento da cidade de Shenzhen.

O índice Nikkei encerrou com alta de +0,58%. Em Hong Kong, o Hang Seng teve forte queda e perdeu -4,97% e, em Seul, o Kospi caiu -0,59%. Na China, o Xangai teve queda de -2,60% e o Shenzhen caiu -2,93%.

Esta semana será marcado pela reunião do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, que acontecerá na quarta-feira (16), dando o início do aperto monetário por lá. O consenso do mercado aposta em uma alta de 0,25pp.

Aqui no Brasil, a expectativa hoje fica para o Boletim Focus. Outro destaque na semana será a reunião do Banco Central na quarta-feira, com expectativas de uma alta da Selic que gira entre 1pp a 1,25 pp.

No cenário político, a alta dos combustíveis também virou uma importante pauta no governo, com caminhoneiros ameaçando greve. A inflação crescente fica cada vez mais evidente no âmbito global, com bancos centrais subindo juros para conter o impacto inflacionário.

A temporada de balanços também acontece a todo vapor, com divulgações de Magazine Luiza (MGLU3) e Gol (GOLL4) e Eletrobras (ELET6). Além disso, o Ibovespa volta a fechar às 17h a partir de hoje, seguindo o horário de verão dos Estados Unidos,

RADAR CORPORATIVO*

Após os reajustes promovidos esta semana nos preços de gasolina, diesel e gás de cozinha, a Petrobras publicou neste sábado, 12, dois vídeos em sua página na internet justificando os aumentos. Conforme a estatal, o último reajuste foi necessário para manter o fornecimento por todas as empresas, mitigando riscos de desabastecimento. A empresa diz que não repassou imediatamente a elevação recente nas cotações do petróleo pois “não transmite volatilidade e sabe da importância de contribuir com combustível acessível.”

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou no sábado, 12, que deverá cobrar do Ministério de Minas e Energia, explicações sobre o que já foi feito para notificar os postos que não reduziram o preço do diesel e demais impostos, após sanção, na sexta-feira,11, do projeto de lei de que altera cobrança do ICMS sobre os combustíveis.

E os usuários do Instagram na Rússia estão sendo notificados de que o serviço será encerrado a partir da meia-noite neste domingo, após a empresa proprietária do aplicativo, Meta Platforms, dizer na semana passada que permitiria aos usuários de redes sociais na Ucrânia publicar mensagens como “Morte aos invasores russos”.

(*Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas