“As ações de shoppings não vão subir a curto prazo”, diz investidor profissional

Thiago Ribeiro destacou que por conta da alta taxa de juros, e esses setores são muito prejudicados

Levando em consideração que São Paulo e Rio de Janeiro retiraram a obrigatoriedade da utilização de máscaras em ambientes externos e os setores de shoppings e lajes corporativas foram muito afetados com a pandemia, por causa do fechamento dos shoppings e o trabalho remoto, vale a pena investir nesse setor neste momento? 

O investidor profissional e consultor de investimentos, Thiago Ribeiro, destacou que depende muito do olhar do investidor, as ações de shopping a curto prazo, por exemplo, não devem subir. “As ações de shoppings não vão subir no curto prazo”, ressaltou.

Nesse sentido, Ribeiro explicou que isso ocorre por conta da alta taxa de juros, e esses setores são prejudicados por essa alta, e os investidores não costumam buscar esses ativos.

Por outro lado, o consultor de investimentos afirmou que se o investidor tem como objetivo adquirir propriedade comerciais e ter shopping centers, hoje em dia, o preço dos shoppings e das lajes corporativas estão realmente muito baratos.

Portanto, Ribeiro destacou que se o investidor deseja comprar o metro quadrado de lajes corporativas de qualidade, esse é o melhor momento, “Não há nada mais barato que isso”.

Para os shoppings centers, o investidor profissional disse o mesmo, visto que existem empresas de shoppings negociando quase abaixo do custo da construção do shopping.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas