Auxílio desemprego nos EUA, combustíveis e o que move o mercado hoje

No cenário internacional, outro ponto é a condução da política monetária do Banco Central Europeu (BCE)

Os mercados europeus e os índices futuros dos Estados Unidos operam em baixa na manhã desta quinta-feira (10), indo na contramão das Bolsas asiáticas que reverteram as quedas desta semana e fecharam em alta, à medida que Wall Street se recuperou com vigor e os preços do petróleo sofreram um tombo ontem, em meio a sinais de que a Ucrânia quer uma solução diplomática para o conflito com a Rússia.

O índice Nikkei liderou os ganhos na Ásia hoje, com um salto de 3,94% em Tóquio, o maior desde junho de 2020, a 25.690,40 pontos. Em Seul, o Kospi avançou 2,21%, a 2.680,32 pontos, depois de não operar na quarta-feira devido à eleição presidencial da Coreia do Sul, que foi vencida pelo oposicionista conservador Yoon Suk-yeol.

Já o Hang Seng teve alta de 1,27% em Hong Kong, a 20.890,26 pontos, e o Taiex registrou expressivo ganho de 2,46% em Taiwan, a 17.433,20 pontos. Na China continental, o Xangai Composto subiu 1,22%, a 3.296,09 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 2,12%, a 2.160,94 pontos.

Além disso, o petróleo despencou com informações de que a Arábia Saudita pediu para a Opep aumentar a produção da commodity.

Na agenda econômica internacional, o destaque fica para a divulgação dos dados dos pedidos semanais de seguro-desemprego nos Estados Unidos, além do balanço orçamentário federal.

Outro ponto é a condução da política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que deve se manter flexível, apesar da alta inflação.

BRASIL

No Brasil, o Ibovespa seguiu o ritmo dos índices estrangeiros e fechou o dia em alta, interrompendo quatro pregões seguidos de queda. Hoje, os principais indicadores econômicos do país são os dados do Caged sobre emprego e vendas no varejo, que devem sair pela manhã.

Outro destaque é o preço dos combustível. O Senado adiou, pela segunda vez, a votação dos projetos de lei e o pacote voltará à pauta do plenário nesta quinta-feira, mas há pressão para a deliberação ficar para a próxima semana.

RADAR CORPORATIVO

A Natura&Co (NTCO3) divulgou nesta quarta-feira forte alta no resultado do quarto trimestre sobre um ano antes, impulsionada por reestruturação e captura de sinergias com a integração da Avon mais rápido que o esperado.

A companhia teve lucro líquido de 695,4 milhões de reais de outubro a dezembro, superando previsões de analistas de resultado positivo em 161 milhões, segundo dados da Refinitiv.

A Via (VIIA3) registrou lucro líquido de R$ 125 milhões no quarto trimestre de 2021, queda de 73,4% em relação ao mesmo período de 2020. No ano, o lucro líquido foi de R$ 538 milhões, avanço de 32,2% na comparação anual.

E a CSN (CSNA3) divulgou nesta quarta-feira lucro líquido de 1,06 bilhão de reais no quarto trimestre, ante resultado positivo de 3,9 bilhões obtido no mesmo período de 2020.

Veja a agenda do dia:

HoraRegiãoEvento
9hBrasilVendas no varejo (Janeiro)
9h30BrasilEvolução de empregos Caged
9h45Zona do euroDecisão da taxa básica de juros
9h45Zona do euroDeclaração de política monetária do BCE
10h30EUAIPC (Fevereiro)
10h30EUAPedidos de seguro-desemprego
16hEUABalanço orçamentário federal

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas