“O mercado ajusta muito rápido a intensidade da informação”, diz Gustavo Almeida

O analista reforçou a ideia de que as bolsas vão ser especuladas de acordo com as informações que são liberadas, e a intensidade vem a partir do tamanho da notícia

Nesta última quarta-feira (09), as bolsas mundiais e brasileiras fecharam com uma alta expressiva. Aqui no Brasil, o Ibovespa fechou com alta de 2,43% aos 113.900,34 pontos. Porém, desde que começou a guerra no leste europeu entre Rússia e Ucrânia, os mercados sofreram grandes volatilidades, deixando difícil uma previsão.

Em entrevista ao vivo para a BM&C News, o analista Gustavo Almeida, comentou sobre a dificuldade dos mercados seguirem uma tendência e a relação da volatilidade com a guerra. Para começar, ele diz que normalmente diversas informações podem influênciar o mercado e cada bolsa poderia reagir de um jeito, hoje, o mundo está focado em apenas um evento e a informação é a mesma, logo, a reação também.

O analista acrescenta dizendo que ontem foi um dia de alta, mas hoje, os mercados estão pessimistas, então a tenência é de baixa, logo, pressiona a venda. “A pressão vem para aquelas pessoas que especulam na baixa, ou aqueles que vendem para ter o lucro”, dizendo que esse está sendo o jogo para a bolsa.

Assim, Gustavo Almeida disse que com o conflito acontecendo, fica difícil especular em um longo prazo, pois mesmo com o fim da guerra, os portos estarão destruídos. A reconstrução leva um tempo para estabilizar e o mercado sofrerá com isso.

Para finalizar, o analista reforçou a ideia de que as bolsas vão ser especuladas de acordo com as informações que são liberadas, e a intensidade vem a partir do tamanho da notícia. “O mercado ajusta muito rápido a intensidade da informação”, completou.

Compartilhe:

Últimas notícias

Matérias relacionadas